Cisco Live 2017: novos switches Catalyst 9000 ampliados por software

Série tem recursos comum e funcionalidades agregadas por softwares homologados

Switch é elemento básico constituinte de qualquer sistema de rede. Qualquer! Desavisados vão pensar que sua função é apenas distribuir sinal de rede para cada elemento na ponta de um cabo que se conecta a diferentes computadores. Isso não é nem 1% da importância de um switch. Aliás, quando surgiram décadas atrás resolveram um imenso problema que era a perda de desempenho por causa de um fenômeno comum em barramento de comunicação que eram as colisões de pacotes de dados.

figura 01 – Evolução da linha Catalyst ao longo do tempo

Mas de lá para cá várias funções como atribuir endereços IP (DHCP), filtros de pacotes, análise de tráfego, garantia de qualidade de serviços (QoS), módulos de segurança e tantas outras novas funções foram agregadas nestes dispositivos. Tão relevantes quanto a capacidade de fluxo de informação (throughput), com este nível de capacidade de processamento, novas funcionalidades tornaram-se igualmente importantes. A família Catalyst é seu relevante representante dentro do portfólio da Cisco e nas últimas semanas foi apresentada no Cisco Live 2017 a mais elaborada e sofisticada geração, a série 9000.

O elemento chave do switch é o chip de processamento, que determina os recursos do dispositivo, evoluiu de desde 2015 de 1.3 bilhões de transistores para quase 7.5 bilhões de transistores. 5 milhões de novas linhas de código foram adicionadas ao software existente. Estruturalmente são construídos de tal forma a se adaptar a qualquer condição ambiental que os clientes possam necessitar alocá-los (humidade, calor , altitude, etc.).  A base de software é a mesma em toda a família diferindo apenas nas capacidades intrínsecas de transferência de dados, mas os recursos são um fundamento comum.


figura 02 – em toda a família a mesma plataforma de software

Por isso, esta elevada capacidade de processamento confere alto nível de complexidade e sofisticação para essa nova família. Traz recursos adicionais graças à grande capacidade de processamento e possibilidade de rodar aplicações homologadas que estendem mais ainda suas funcionalidades. Alguns destes switches têm capacidade e características próximas a de um firewall, que isola a rede externa da rede interna. Mas como as ameaças de segurança também podem se originar de rede interna, é uma ótima possibilidade agregar estas funções de segurança no fluxo de tráfego interno de dados.

Do ponto de vista de possibilidade de upgrade há uma característica muito interessante. Trocando um módulo chamado “Supervisor & Line Card” as velocidades de transmissão das portas do switch podem ser alteradas, ampliadas de acordo com a necessidade, acrescentando assim nova capacidade de tráfego de dados para os switches.


figura 03 – capacidade de ampliação de configuração e capacidades

Ao mesmo tempo são construídos com “alta disponibilidade” como premissa usando subsistemas redundantes (fonte de alimentação, ventoinhas, etc.). As possibilidades de uplink (agregação) são muitas (também dependendo do modelo específico), mas por exemplo, no modelo 9400 são até 8 portas de 10 Gbps para esta função resultando em 80 Gbps de capacidade!! Muita flexibilidade para a configuração no ambiente da empresa usuária.

Detalhes muito interessantes estão presentes no 9400  . O subsistema de ventoinhas pode ser removido por completo para substituição, tanto pela frente como por trás bem como a velocidade de rotação é afetada pelo nível de pressão atmosférica, densidade do ar, indicativo da altitude, que afeta a densidade do ar!! O modelo 9500 é otimizado para portas 40 Gbps e pode isso é denominado Enterprise Class capaz de performance agregada de até 1.9 Tbs!


figura 04 – facilidade de manutenção da família 9000


figura 05 – agregação de capacidade até 1.9 Tbps!

A família Catalyst 9000 têm muitos recursos em comum. Por exemplo, pode contar com um sistema fácil de identificação dos dispositivos que inclui também RFID passivos (sem bateria) para permitir também inventário e registro dos equipamentos de TI. Opcionalmente podem ter suporte a Bluetooth para fácil administração via notebook ou tablet. Muito interessante a capacidade de Storage nos switches da série 9000, seja por meio de interfaces USB 3.0 ou por meio da adição de SSDs adicionalmente ao dispositivo de 120 GB existente (até o limite de 1 TB). Este sistema de armazenamento pode ser usado tanto para registro de logs como área de trabalho para aplicações que podem ser executadas nos dispositivos (containers).


figura 06 – opções para ampliação de capacidade de armazenamento nos switches

Este texto apenas traz um “aperitivo” sobre o que é a linha Catalyst 9000 da Cisco. Aplicações de cunho essencial, missão crítica e em data centers de empresas cuja função da rede é integrar os recursos computacionais da empresa terão na linha 9000 uma sólida e robusta solução! Se quiser ver mais sobre a linha 9000 veja o vídeo abaixo e este link para artigo da própria Cisco.


figura 07 – vídeo com apresentação da linha Catalyst 9000

Comentários
As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem unicamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da IT Mídia ou quaisquer outros envolvidos nessa publicação.

Notícias Relacionadas

Copyright 2017 IT Mídia. Todos os direitos reservados.
É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da IT Mídia.