Dell Latitude 7370: grande potência na mais fina forma

Ultrabooks “clássicos” não estão esquecidos. Review completo

A Dell vem apostando no mercado de computadores conversíveis, os chamados “2 em 1”. Recentemente testei o Latitude 7350, que é um bom exemplo. Mas os ultrabooks “clássicos” não estão esquecidos, muito pelo contrário. Tive a oportunidade de testar um verdadeiro primor de equipamento desse tipo. Falo do Latitude 7370, um equipamento feito para brilhar em termos de mobilidade e com máxima potência.


figura 01 – Dell Latitude 7370

É muito leve, apenas 1.12 quilos e sua espessura é de apenas 14 milímetros. O acabamento é em fibra de carbono, que confere grande resistência e também o mantém muito leve. Dispõe de vastos 8 GB de memória e um SSD (armazenamento em memória flash) de 128 GB, sobre o qual falarei mais a seguir. Vem com o Windows 10 Professional e uma versão de avaliação do Office 2016 válida por 30 dias.


figura 02 – Resumo da configuração

Ao manusear o 7370 o que mais me chama a atenção é a sua leveza e sensação de robustez. É possível segurá-lo facilmente apenas com uma das mãos, seja pela sua pequena espessura, seja pelo peso diminuto.

Tem tela de 13.3 polegadas e resolução Full HD (1920×1080), que resulta em uma definição, clareza das letras e imagens que é diferenciada. Pelo tamanho da tela, se fosse usado da forma padrão, letras e ícones poderiam ser pequenos para algumas pessoas. Por isso mesmo ele vem de fábrica com seu Windows 10 ajustado para uma ampliação de 50%. Este é o melhor dos mundos, pois o uso fica bem confortável na tela de 13.3 polegadas e pela grande resolução, uma definição fantástica. Ainda assim a qualquer momento pode ser usada outra configuração com maior ou menor ampliação. Gostei também de usar com 25% e para um caso específico, que seja necessária maior área de área de trabalho, sem ampliação alguma.


figura 03 – Dell 7370 resolução nativa – 0% de ampliação


figura 04 – Dell 7370 com 25% ampliação


figura 05 – Dell 7370 resolução PADRÃO- 50% de ampliação – resolução e conforto

Ainda sobre a tela, a Dell a chama de “borda infinita” por causa da pequeníssima largura da moldura. Assim a área que contém a tela propriamente dita é quase que total. Isso pode ser visto muito bem na imagem abaixo.


figura 06 – Dell 7370, detalhe da tela e sua borda muito fina

A versão que eu testei não tinha o recurso de tela sensível ao toque. Mas verificando no site da Dell há mais 2 opções de tela dentre as quais uma inacreditável tela QHD de 3200×1800 touch feita em Gorilla Glass (o vidro resistente a riscos e quebra usada nos melhores smartphones) e opção de WWAN (simcard para uso de 3G/4G direto pelo notebook).
Processador Core M7

Algum tempo atrás a Intel lançou o processador Core M, especialmente projetado para aplicações de mobilidade, procurando equilibrar economia de energia com boa potência de processamento. Isso foi aprimorado com o Core M5 que teve como sucessor o Core M7 usado pelo Dell Latitude 7370. É o máximo em termos de potência e eficiência!! O topo entre os processadores com esta proposta. Neste ultrabook é usado o modelo M7-6Y75 que opera normalmente a 1.2 Ghz. Mas tem a capacidade de desacelerar para 0.6 Ghz em caso de baixa demanda (e gerar economia de energia), mas por outro lado pode acelerar seu processamento para 3.10 Ghz em casos de pico de demanda de processamento. Este tipo de ajuste de frequência não é novo, mas esta grande amplitude (0.6 Ghz até 3.10 Ghz) é algo notável!


figura 07 – resumo das características do processador

É um processador da 6ª geração da família Core, conta com 2 núcleos físicos e 4 lógicos (usando a tecnologia Hyperthreding) e fabricado usando o processo de 14 nanômetros. Seu consumo de energia oscila entre 3.5 W e 7 W dependendo da demanda. Interessante é o algoritmo que controla essa alternância. Apenas nos picos de utilização, quando de fato precisa de maior poder de processamento que eleva sua a velocidade apenas durante menor tempo possível, até que o stress momentâneo tenha acabado.


figura 08 – processador em regime de pico de utilização

Resumindo, o Dell Latitude 7370 usa um processador extremamente moderno, feito especialmente para dispositivos móveis (notebooks e ultrabooks), muito rápido, capaz de ajustar sua velocidade em caso de demanda elevada de processamento e ainda assim gastar pouquíssima energia. Isso será melhor ilustrado quando eu detalhar a autonomia de sua bateria.
Seu sistema de armazenamento – SSD e sd Card

A versão testada tem um SSD 128 GB, ou seja, um sistema de armazenamento baseado em memória e não em um disco magnético.  A consequência disso é um “disco” que é pelo entre 5 e 10 vezes mais rápido (dependendo do tipo de solicitação) e muito mais confiável já que não tem partes móveis nem elementos mecânicos que possam apresentar alguma avaria. Imediatamente se percebe esta qualidade ao ligar o equipamento. O tempo de carga do Windows é bastante rápido. Após aparecer o logotipo da Dell, quando um “círculo” começa a girar (carga do sistema operacional), até aparecer a tela que solicita usuário e senha do Windows leva cerca de 15 segundos. Computadores com discos rígidos convencionais podem levar entre 50 segundos e 90 segundos para esta tarefa.

Porém o que mais importa no dia a dia é a carga dos programas. Aplicativos do Office, mesmo o pesado Outlook, são carregados em 2 segundos aproximadamente!! É fantástico. Velocidade para carga dos programas não é mesmo problema. A medida específica e objetiva de velocidade foi feita usando o software CrystalMark. Os números abaixo “gritam” por si as diferenças do HD comum e do SSD usado no Latitude, em diferentes situações. Comentar não é necessário.


figura 09 – comparação de velocidade do SSD com HD convencional

O leitor mais atento certamente deve estar se perguntando “porque a capacidade do SSD é de apenas 128 GB?”. Parece pouco. Isso tem a ver com o perfil de uso deste dispositivo que é mobilidade com velocidade. Eu estou usando o Latitude 7370 há algumas semanas e ainda tenho mais de 50 GB livres. Isso porque concentrei apenas minhas pastas de documentos principais. Não ocupei espaço com o meu histórico de 20 anos ou mais de documentos, planilhas e apresentações, músicas,etc.

Mas o 7370 tem opções para isso. Ele pode ser comprado com SSD de 256 GB ou 512 GB, porém isso torna o preço da máquina mais cara (SSD é mais dispendioso que HDs comuns). Mas há uma saída engenhosa. Existe um leitor de cartão de memória micro SD na lateral do Latitude no qual eu inseri o cartão que uso no meu smartphone com 64 GB de capacidade (cartão Sandisk Micro SD Ultra classe 10). Ele não só disponibiliza uma unidade de armazenamento a mais, como o desempenho é MELHOR que o desempenho de um HD convencional (magnético) !!! Tive a curiosidade de pesquisar o preço deste cartão e pude achá-lo em promoção na americanas.com por R$ 100. Há hoje em dia cartões de memória micro SD de capacidades muito maiores de (já existem cartões de 1 TB!!) ou até bem mais rápidos como os cartões  do tipo Extreme.  Mas este cartão de 64 GB que instalei, barato, rápido e prático, que compartilhei com meu smartphone deu conta do recado tranquilamente.


figura 10 – 7370 com o cartão de memória e seu teste de velocidade

 

Portas, conectores e demais características

Por ser um ultrabook o Latitude 7370 não dispõe de mídia ótica (DVD) nem conector Ethernet para o conhecido “cabo de rede”, mas tem um WiFi sensacional (vou detalhar depois). Dispõe de uma porta USB 3.0 com recurso “powershare” (pode ser usada para carregar de energia outro equipamento, smartphone, etc.). Apenas uma porta USB é bem pouco, não é? Mas há mais duas portas USB 3.0/Thunderbolt 3, no formato USB-C. Na foto abaixo podemos ver, da esquerda para a direita, as duas portas USB-C, sendo que ambas servem para fazer a carga da bateria do ultrabook, bem como, com um cabo apropriado (ou adaptador) fazer a mesma função de portas USB 3.0 convencionais. Dessa forma são 3 portas USB. Na foto abaixo o próximo conector é um mini-HDMI para conexão a monitores externos ou projetores. Também pode exigir o cabo com o conector correto (mini-HDMI) ou adaptador. O último elemento dessa foto, mais a direita, é uma “gavetinha” para o simcard, para ter o 7370 conectado à Internet sempre, sem depender de WiFI.

 

figura 11 – conectores USB/Thuderbolt, mini HDMI e simcard

 

Na próxima foto podemos ver, da esquerda para a direita, o slot para o cartão de memória micro-SD, o conector P2 para fone de ouvido ou headset, a porta USB 3.0 convencional e no fundo o encaixe para uma trava de segurança.


figura 12 – entrada para cartão de memória, fone e USB 3.0 convencional

Saindo um pouco dos conectores, mas ainda falando das características gerais, quero comentar sobre o teclado e o touchpad. O teclado tem o tamanho correto, ergonômico, teclas bem dimensionadas e com ótimo feedback tátil. Mas o que mais gosto é que as teclas são retro iluminadas. Ao primeiro toque uma luz que vem de baixo do teclado ilumina as teclas. Isso é ótimo para uso em aviões ou mesmo em ambientes mal iluminados, uma sala de palestra, etc. O touchpad é, graças a Deus, do tipo dividido em 3 partes: a área para mover o dedo, o botão esquerdo e o botão direito. Acho péssimos estes touchpads que são uma superfície única, é horrível para acertar o que se deseja fazer, leva a muitos erros. Por isso o touchpad do 7370 é ótimo, realmente bom de usar. Importante, eu detesto touchpads, se este mereceu elogio por minha parte é porque ele é bom de fato!


figura 12b – detalhe do touchpad


Rede, WiFi e conectividade

O Latitude 7370 não tem conector para rede Ethernet com cabos. Embora a Dell disponha de um cartão SIM externo para isso. Mas no meu uso percebi que não chega nem perto de precisar de cabo Ethernet. Como o sistema de WiFi é o mais atual, padrão “ac” (Intel Dual Band Wireless AC-8260), a experiência de uso de rede no WiFi é a mesma praticamente da que se teria com uma rede cabeada no padrão Gigabit. A velocidade de transferência de arquivo é de cerca de 68 MB/s, que por sua vez representa algo como 700 Mbps. Na tela abaixo vemos este teste e a velocidade nominal da conexão obtida com o meu roteador padrão “ac”, que foi de 866 Mbps. A transferência se deu em uma taxa muito próxima à da conexão nominal (700 contra 866) e com nível de perda muito baixo.


figura 13 – avaliação do WiFi padrão “ac” do 7370

 

É sabido que a velocidade nominal (neste caso 866) nunca é atingida porque há aspectos de protocolo, retransmissões, etc., mas em uma conexão cabeada Gigabit, usando o mesmo arquivo, obtive transferência de 91 MB/s. Testei também usando WiFi padrão “n” (que ainda é o mais popular). A conexão se dá no meu roteador “n” a 144 Mbps e transferência de arquivos a 9.6 MB/s.  Ou seja, com um roteador “ac”, não somente a velocidade da rede é praticamente a mesma de uma rede com cabos como é mais que 7 vezes maior que em na minha rede WiFi padrão “n”.


figura 14 – avaliação do WiFi padrão “n” do 7370

Ainda sobre a conectividade, o Bluetooth é padrão 4.1, também o mais atual e totalmente compatível com os periféricos do mercado, mouses, smartphones, fones sem fio, etc. Complementando, o Latitude 7370 dispõe em alguns modelos (não o que eu testei) de “slot” para simcard de operadora de telefonia celular para conexão 3G/4G em qualquer lugar. Neste modelo do teste a “gaveta” existe, mas não é operacional (até introduzi o chip ali, mas não tem o suporte à conexão). Curiosamente, para adquirir esta facilidade é necessário pedir que a Dell mude o tipo de tela para QHD (3200×1800) com touchscreen. Nessa configuração o adaptador WWAN está disponível.


E a autonomia da bateria?

Quem busca este tipo de dispositivo requer distância das tomadas elétricas! Neste aspecto o Dell Latitude 7370 foi muito adequado a esta necessidade. Durante parte do período de trabalho, usando o tempo todo, ainda tenho 91% de carga e uma previsão de praticamente 6 horas (imagem abaixo)!!! Em uso natural, é uma autonomia muito boa. Apenas o Latitude 7350 2 em 1, com suas duas baterias o superou com 8 horas e 11 minutos.


figura 15 – exemplo de consumo de bateria em regime de uso normal

Mas meus testes foram bem mais detalhados e objetivos. Analiso três cenários distintos. O melhor possível (apenas em standby), o pior possível (força bruta – total stress usando o software Battery Eatter) e o uso natural, ou seja, submeto o computador ao meu próprio dia a dia de trabalho conforme descrito antes. Os resultados foram:

  •     Sob máximo stress, 3 horas e 50 minutos de duração


figura 15b – software Battery Eater

Uso natural, mas com perfil intenso, 6 horas e 06 minutos

Uso natural, mas com perfil intenso, modo de economia, 6 horas e 58 minutos


figura 15c – Modo de economia de energia ativado

Apenas standby (sem fazer nada), 29 horas


figura 16 – resumo do teste de autonomia de bateria

 

É importante saber que eu seria capaz de ficar o dia todo sem precisar de uma tomada. Estas quase 7 horas, se fossem uma situação de uso um pouco menos intenso poderiam ser 9 ou mais facilmente. Se eu me preocupasse em fechar a tampa ou deixando suspender a atividade em períodos de inatividade (que eu não deixei no meu teste) obteria ainda mais tempo de uso.

Conclusão

O Dell Latitude 7370 é um ultrabook notável! É leve, muito leve. É rápido graças ao forte processador Intel Core M7 (o mais avançado para este tipo de uso), que consegue alternar sua velocidade entre 0.6 Ghz a 3.1 Ghz entregando forte desempenho quando necessário e sendo espartano no uso de energia. Também deve sua velocidade ao seu sistema de armazenamento SSD (memória em vez de disco magnético).  Sua autonomia de bateria pode ser entendida como 4 horas em regime de máximo uso (estressado por um software para drenar a bateria) e 7 horas de uso contínuo e natural (meu próprio perfil de uso)  tem como limite máximo 29 horas (ligado, ativo, mas sem usar)


figura 17 – Dell Latitude 7370

A tela de 13.3 polegadas é ótima pela resolução (full HD), brilho e definição. Pode ser adquirido com tela QHD (3200×1800) e nessa configuração sua tela é sensível ao toque e ainda traz o adaptador para chip 3G/4G para conexão em qualquer lugar. Não tem conector para rede Ethernet, mas seu avançado WiFi padrão “ac” permite que na rede sem fios se obtenha o mesmo desempenho. Na versão testada tinha SSD de 128 GB, suficiente para o uso com este perfil de mobilidade. Pode ser adquirido com SSD de 256 ou 512 GB (mais caros) ou alternativamente usar um simples e barato cartão de memória  micro SD (64 GB por R$ 100) ampliando sua capacidade (cartões maiores também podem ser usados – 256 ou 512 GB) tendo nesta situação, neste sistema de arquivos, desempenho um pouco melhor que um disco rígido magnético convencional.

Ele não tem tantos conectores assim, fora o HDMI são 3 USBs (duas no padrão USB-C que são menores) e uma delas pode estar ocupada pelo carregador de bateria, mas adaptador ou um Hub podem ser usados para ampliar a capacidade de USBs convencionais. Percebe-se que este ultrabook foi meticulosamente projetado para aqueles usuários que precisam de alto desempenho em seu uso no perfil de mobilidade, livre de fios, tanto do carregador como de rede, por um longo tempo. E por isso mesmo sua leveza e praticidade aliados à grande autonomia de bateria fazem dele a ótima escolha para este tipo de usuário. O preço do Latitude 7370 no site da Dell (em janeiro de 2017) parte de R$ 8.900 reais (a versão testada por mim).


figura 18 – Dell Latitude 7370

Comentários
As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem unicamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da IT Mídia ou quaisquer outros envolvidos nessa publicação.

Notícias Relacionadas

Copyright 2017 IT Mídia. Todos os direitos reservados.
É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da IT Mídia.