Home > Notícias

10 tendências para o mercado de tecnologia no Brasil

Déborah Oliveira

27/01/2017 às 10h33

Foto:

Projeções da IDC apontam que, em 2017, o mercado de tecnologia da informação e telecomunicação (TIC) deverá saltar 2,5%. E, segundo a consultoria, dez tendências vão pautar o mercado nos próximos meses. Na lista, estão tecnologias inovadoras como blockchain, inteligência artificial (AI, na sigla em inglês) e realidades virtual e aumentada. Confira a lista abaixo:

  1. Avanço da transformação digital

Na visão da IDC, a transformação digital será a base dos investimentos em TI em 2017. Há muito espaço para crescer nessa seara. De acordo com recentes pesquisas da IDC, pouco mais de 10% das empresas investem cerca de 5% de seu faturamento em tecnologias inovadoras.

Reinaldo Sakis, gerente de Pesquisa e Consultoria para Devices da IDC Brasil, indica, ainda, que constatou-se que empresas mais maduras e que investem mais em transformação têm mais faturamento e crescimento em comparação com as que não seguem esse caminho.

  1. Mais dados, menos voz

Segundo André Loureiro, gerente de Pesquisa e Consultoria de TIC da IDC Brasil, o mercado de telecom vai seguir em sua jornada de digitalização. A tendência, iniciada em 2013, de uso de dados e menos voz segue em 2017. Em função desse cenário, diz, as teles vão passar a direcionar esforços para ampliar cobertura e melhorar a qualidade dos serviços. “Com isso, haverá espaço para expansão das redes móveis, especialmente 4G. Em 2017, conexões 4G vão ultrapassar 108 milhões no Brasil, chegando a 40% da base total de conexões móveis”, estima.

Outra tendência, prossegue, é o crescimento do 0800 dados e zero rating, que permite acesso gratuito a determinados serviços sem cobrança de dados.

  1. Volta da demanda por smartphones

Reinaldo Sakis, gerente de Pesquisa e Consultoria para Devices da IDC Brasil, comenta que o mercado de smartphones deverá retomar o crescimento neste ano. Ele lembrou que em 2015 teve início a desaceleração da compra de telefones móveis inteligentes, com posterior queda em 2016. Em 2017, contudo, a expectativa é de crescimento nas vendas de 3,5% em número de unidades.

  1. Realidades aumenta e virtual

Sakis indica que 2017 será de boas perspectivas para os mercados de realidades aumentada e virtual. A previsão da consultoria é de que o mercado nacional dobre em unidades vendidas de dispositivos, ultrapassando a barreira de 100 mil produtos. As aplicações em fases de testes em solo nacional incluem arquitetura, serviços, varejo e indústria.

  1. Segurança

No Brasil, os investimentos em segurança devem somar US$ 360 milhões já no primeiro semestre, com destaque para projetos de gestão de identidade (IAM, na sigla em inglês) e correlação de eventos (SIEM, na sigla em inglês). A demanda será puxada pelo aumento da segurança de dispositivos conectados à internet, que formam a internet das coisas (IoT, na sigla em inglês).

  1. Internet das coisas

Na esteira da digitalização, 2017 será o ano da aceleração de IoT no Brasil. A previsão é de que o ecossistema de IoT no Brasil dobre até o final da década, movimentando US$ 13 bilhões.  “Contribuirá para esse salto a definição de uma política de IoT, que deverá sair do papel no primeiro semestre deste ano. Já no segundo semestre, veremos novidades surgindo nesse campo”, aponta Pietro Delai, gerente de Pesquisa e Consultoria para Infraestrutura e Telecom da IDC Brasil.

  1. Analytics

O avanço de IoT estará em linha com o uso de analytics, que transformará dados em valor para os negócios. O mercado nacional de analytics saltará 4,8% em 2017, segundo estimativas da IDC, somando US$ 848 milhões. “A tecnologia vai ganhar escala como capacidade embarcada em outras soluções”, comenta Luciano Ramos, gerente de Pesquisa e Consultoria para Software e Serviços da IDC Brasil. Segundo ele, haverá demanda crescente por analytic para levar inteligência e insights para os negócios.

  1. Inteligência artificial

Ramos aponta que inteligência artificial assumirá posição estratégica nas empresas. A expectativa é de que, nos próximos três anos, o mercado nacional quintuplique os investimentos na tecnologia. De acordo com ele, inteligência artificial ainda está e, estágio inicial, mas já encontra caminho no atendimento ao cliente e em chatbots.

  1. Blockchain

O blockchain, banco de dados distribuído que guarda um registro de transações permanente e à prova de violação, está ganhando corpo no Brasil, assegura Delai. Ele, no entanto, alerta que a tecnologia ainda está “engatinhando”, com pequenos projetos por aqui, mas será altamente diruptivo para os negócios, podendo ser comparado à revolução gerada pela internet.

  1. Brokers de cloud

Cloud já é realidade no Brasil. Já há no País muitos casos de sucesso e o medo de gestores sobre a nuvem acabou. “Empresas estão amadurecendo no entendimento e adoção da nuvem”, pontua Delai. Segundo o executivo, em 2017, em todo o mundo a nuvem saltará 18,2%, com destaque para a modalidade pública, responsável por 61% dessa fatia. No Brasil, a nuvem pública registará expansão de 20% neste ano, movimentando US$ 890 milhões.

Como parte da tendência de expansão, Ramos indica que, como o futuro da nuvem é híbrido e composto por muitas clouds, se fortalecerá a figura do cloud broker. “Os brokers vão se tornar grandes intermediadores, ajudando companhias nas tomadas de decisão e no gerenciamento desses ambientes”, assinala.

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail