Home > Colunas

A era do conhecimento jurídico

Nessa era é preciso rever processos e reinventar as melhores práticas profissionais, questionando modelos ultrapassados de gestão da informação.

*Ivan Pires Junior

09/11/2019 às 14h31

jurídico
Foto: Shutterstock

Você já parou pra pensar sobre a quantidade de informações que recebemos diariamente? Uma quantidade de canais abertos, conexões, networking, ferramentas, e-mails, planilhas, sistemas que se deixarmos ocupam 24 horas de nossas vidas e que muitas vezes nos deixam longe dos resultados, sejam eles profissionais ou pessoais. Estamos atravessando a era do conhecimento, onde a informação de boa qualidade se torna parte fundamental na busca de bons resultados e da nossa qualidade de vida.

E essa realidade também chegou ao setor jurídico. Podemos chamá-la de a Era do Conhecimento Jurídico, onde é preciso rever processos a ponto de reinventar as melhores práticas profissionais e questionar modelos ultrapassados de gestão da informação. Para que isso aconteça, podemos considerar três grandes dimensões: a infraestrutura da organização, o perfil das pessoas que a compõem e a tecnologia utilizada.

O trabalho consiste em: flexibilizar e horizontalizar a estrutura organizacional; mudar o perfil das pessoas, especialmente dos líderes e gestores; e utilizar as TIC - Tecnologias da Informação e Comunicação; tornando essas três dimensões mais flexíveis e inovadoras, propiciando a aquisição, criação, compartilhamento, utilização e armazenamento do conhecimento.

No universo da gestão jurídica corporativa, podemos começar repensando algumas atividades que podem estar mascarando bons resultados. A primeira delas está relacionada aos processos judiciais. Sua empresa tem dedicado tempo na condução de acordos judiciais no intuito de encerrar os processos ou tem adotado a teoria do tempo?

Outra questão é sobre o sistema. A tecnologia usada no dia a dia compartilha informações em tempo real para tomada de decisões, correções de rota e até mesmo gerencia meus escritórios terceirizados de forma inteligente?

A administração de despesas também precisa ser repensada (honorários, processos, multas, etc), para que processos que envolvem a previsão dos gastos sejam automatizados e não necessitem de interferência humana. Com o uso de métricas de gestão do risco jurídico é possível, por exemplo, tomar decisões embasadas, sólidas e que possibilitem uma melhor estratégia de prevenção jurídica.

A falta de um sistema jurídico para gestão leva muitas empresas a erros nos gastos e estimativas para os pagamentos de processos que ocasiona uma elevação dos custos. Neste sentido, é importante uma estratégia definida para o contencioso de massa e não apenas nos processos críticos.

Como se pode ver, existem muitas formas de transformarmos informações em conhecimento. Atualmente, partimos da desconstrução dos sistemas passivos para a construção de sistemas ativos, com inteligência artificial para juntar dados passados com futuros e apontar mudanças que poderão fazer toda a diferença para a companhia. Imagina um advogado podendo fazer cruzamentos científicos da entrada de processos por região e estabelecer um controle preventivo na contenção de novos processos?

Isso já é realidade em diversas corporações que investem em sistemas eficientes, que possibilitam ter acesso via mobile à aplicativos que facilitam a auto gestão. Acredito que o primeiro passo para essa mudança é admitir que precisamos mudar, ter a humildade de rever conceitos, paradigmas e modelos mentais, tendo como premissa a prática de “desaprender e aprender a aprender".

Há quem enxergue este momento como uma ameaça e outros que o veem como uma oportunidade. Por isso, saiba escolher e montar um time para que todos trabalhem para atingir os objetivos profissionais da empresa, de acordo com regras de pagamentos e Compliance com seus escritórios externos. Tenha em mente que é preciso optar por uma solução tecnológica que sustente esta mudança, deixando para trás velhos hábitos.

Por fim, dedique um tempo na leitura de artigos, fóruns, se relacione com os canais e fornecedores no mercado para aumentar sua bagagem no assunto. Abandone de vez os processos horizontais cartesianos, aqueles que não agregam valor ao seu negócio e à companhia.

Não tem mais volta, este processo é irreversível, por isso, abrace a Era do Conhecimento Jurídico e faça a diferença!

*Por Ivan Pires Junior é diretor de Mercado para o setor Jurídico da Benner.

**Sobre a Benner: a Benner oferece soluções em software de gestão, serviços e transformação de processos, com soluções especialistas nas verticais em que atua: Saúde -- Operadoras e Hospitalar, Jurídico, RH e Logística & Supply Chain, além de ERP e Turismo. Atualmente, são mais de 1.500 colaboradores que atuam nos três centros de desenvolvimento de tecnologia e em escritórios localizados em São Paulo, Alphaville, Brasília, Blumenau, Curitiba, Maringá, Salvador e Rio de Janeiro, além de canais de venda nos principais pólos econômicos nacionais.

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail