Home > Colunas

A inteligência da nuvem aplicada no comércio exterior

Uma análise sobre o que realmente significa se beneficiar diariamente de um software 100% SaaS

*Thiago Nicioli

18/08/2019 às 19h14

Foto: Shutterstock

Os benefícios obtidos através do uso da tecnologia são muitos e podem ser vistos a qualquer instante. Independentemente do ramo de atuação, recursos tecnológicos podem apoiar diretamente na otimização do trabalho, bem como proporcionar melhorias na rotina dos colaboradores. E com a velocidade que o cenário atual se transforma, tudo ao nosso redor também muda.

Sendo assim, pensando no comércio exterior, vejo que a tecnologia veio para apoiar os processos de importação e exportação, em todas as etapas. Hoje, diversas ferramentas facilitam tais processos como um todo e fazem com que o trabalho humano seja destinado para outras funções, que demandam mais resultados, atenção e cautela.

Dentro deste cenário, vejo a importância de valorizarmos cada colaborador e sua atuação dentro das empresas. Elencando um dos principais valores de onde atuamos, pontuamos a potencialização do tempo e talento humano através da tecnologia. E, claro, ao falar sobre este assunto, não posso esquecer sobre o que o modelo SaaS proporciona às nossas empresas.

A transformação digital já é uma realidade e precisamos enxergá-la como nossa aliada. Mas, antes disso, é necessário também adaptar-se ao novo mundo e conhecer o que pode mudar neste novo contexto. Neste artigo, direciono nosso foco à inteligência de cloud que deve ser aplicada nas empresas, e falo também sobre a importância de aprimorarmos a força humana nas corporações.

Afinal, o que significa se beneficiar de um software 100% SaaS?

Já faz um bom tempo que ouvimos falar sobre o Software as a Service (Software como Serviço, em português), mas ainda há uma aplicação errada na utilização do termo. Existem diferenças que ao contratar o serviço podem parecer mínimas, mas no dia a dia e, principalmente, com as atualizações do software, podem se tornar uma complicação.

Dessa forma, se pensarmos em uma solução que possui um banco de dados único, que compartilha a mesma rede com os demais usuários, estamos falando de um software inteiramente presente na nuvem, que proporciona um ganho em escala a todos que o utilizam. Entretanto, também vemos que a aquisição de softwares que são personalizados para determinadas empresas e customizados de acordo com um único processo são confundidos com o modelo SaaS.

Diante desta diferença, o mercado começou a criar seus termos para diferenciar softwares na nuvem como SaaS, Full SaaS, 100% SaaS, etc. E como podemos ver a real diferença entre eles?

A diferenciação começa quando afirmamos que personalizações fogem da proposta do 100% SaaS, já que a ideia é ofertar um sistema de qualidade igual para todos. E neste contexto, vemos que grandes empresas globais, como a própria Microsoft, por exemplo, já estão neste modelo. De acordo com o estudo Market Insight: Cloud Shift — 2018 to 2022, realizado pelo Gartner, até 2019 os gastos da TI serão mais de US$ 1 trilhão em Cloud Computing. Até 2022, a expectativa é de que este número aumente para US$ 1,3 trilhão.

Logo, quando falamos sobre 100% SaaS, devemos nos atentar ao tipo de solução que é ofertada. Abaixo, elenco mitos e verdades sobre este modelo:

  • Custo-benefício: softwares em nuvem possuem um baixo custo, altamente acessível para qualquer porte de empresa. O investimento em uma solução com inteligência de cloud computing apresenta um custo-benefício alto, tendo em vista que o sistema entregará uma qualidade indiscutível, por um preço baixo. VERDADE.
  • Customizável: softwares 100% na nuvem são customizáveis de acordo com os processos do cliente, fazendo com que seja personalizado as necessidades particulares da empresa. MITO. Para que ele seja customizável e de acordo com o processo singular do cliente, o software passa a não atender em escala, gerando alto custo de projeto e mensalidade, fugindo das características de um 100% SaaS.
  • Mobilidade: para acessar o software 100% na nuvem, não é necessário ter uma infraestrutura para abrigar a solução. A inteligência de cloud permite que o usuário acesse a solução em qualquer lugar, eliminando a necessidade de ter um hardware para fazer o uso do software. VERDADE e MITO. Mas vale ressaltar que mesmo os softwares que não são 100% SaaS também permitem o acesso de qualquer lugar. A diferença está no que se entende por mobilidade. Acessar o sistema de qualquer lugar é possível. Agora, ter um aplicativo web, responsivo e com as features iguais ao do sistema, para baixar no Play Store ou Apple Store, só os 100% SaaS conseguem, devido a escalabilidade.
  • Cobranças para atualização de versão: o software 100% SaaS precisa atualizar a versão do sistema individualmente para cada cliente, gerando assim cobranças do serviço e tempo de analistas de implementação para essa atividade. MITO. Se você paga por versionamento, você não está em um software escalável e 100% SaaS. Normalmente, softwares na nuvem lançam novas versões semanalmente, assim que as entregas ficam prontas, garantindo a cada semana um novo benefício, uma nova melhoria ou feature ao seu cliente. Se você já paga pela manutenção mensal do software, por que pagar para que uma nova versão seja aplicada?
  • Melhorias gerais: se um usuário recebe uma melhoria no sistema dele, todos os outros também receberão. Isso se afasta por completo da definição de softwares customizados de acordo com uma única necessidade, mas promove uma disseminação maior das melhorias necessárias no sistema. Se podemos desenvolver uma nova feature que agregará aos nossos clientes, por que deixar isso só para um e não para todos? Por que os demais não podem ter acesso a essas melhorias? VERDADE. Softwares 100% SaaS tem como característica aplicar melhorias para todos os clientes. Por isso é incomum ver projetos de customização em sistemas com essa característica. O time de desenvolvimento está 100% focado em atender as demandas comuns do mercado e de seus clientes, aplicando, assim, benefícios para todos.
  • Implementação demorada e com investimento alto: softwares 100% na nuvem tem implementações de alta complexidade, sendo necessário cobrar valores de horas/homem do cliente para que seja realizada a implementação do sistema. Além disso, demora-se de 3 a 6 meses para finalizar a implementação. MITO. Softwares na nuvem não possuem implementação cara ou demorada. Eles possuem no máximo habilitação e treinamento. Aliás, um dos grandes erros das empresas que contratam serviços SaaS é não ter horas de On Boarding / Treinamento adequadas para entenderem todo o potencial da ferramenta. Treinamentos de softwares na nuvem levam de 10h à 50h, podendo iniciar e finalizar todo o processo em dias ou semanas. Nada de ficar 6 meses esperando para usar todo o potencial do software do qual paga mensalmente.
  • Tomadas de decisão: a inteligência de cloud permite que suas decisões sejam tomadas com base em dados apresentados e que não ficam restritos à uma máquina física. O software por ser acessado em qualquer lugar e, dessa forma, decisões também podem ser tomadas em qualquer lugar. VERDADE. Mas a tomada de decisão com o auxílio da tecnologia também se volta aos softwares On Premise. Independente da tecnologia, um dos principais motivos de contratá-la é para que as tomadas de decisão sejam Data Driven e com alta confiabilidade das informações.

O Comércio Exterior e a agilidade

Os processos aduaneiros são burocráticos e gera certa lentidão ao declarar todas informações necessárias manualmente. Sendo assim, utilizar recursos tecnológicos é a saída ideal para auxiliar os colaboradores. Trazendo um exemplo prático rotineiro, o tempo médio para um funcionário emitir uma nota fiscal de importação ou exportação de alta complexidade é de um dia, caso ele não tenha nenhum software. Já com o apoio da tecnologia esse tempo reduz para 2 minutos. Além da agilidade, é notório o benefício da segurança da informação na nota gerada, evitando riscos de cálculos tributários errados ou de input de informações equivocadas e desatualizadas.

No sentido de otimizar os processos aduaneiros, a inteligência de cloud pode ser a chave. Conforme elenquei acima, o SaaS proporciona um software de qualidade, barato e que, acima de tudo, possui alta confiabilidade na segurança das informações. E vai muito além disso. O uso de um software específico para Comércio Exterior pode apoiar até mesmo na qualidade de vida do funcionário, uma vez que todo o trabalho moroso é direcionado ao sistema, enquanto as aptidões humanas podem ser utilizadas de outras formas.

E dentro deste contexto, o próprio processo de implementação fora do modelo SaaS leva um tempo muito maior. É muito comum vermos a instalação de software levar de 3 a 6 meses (como já mencionei nos mitos e verdades), até adequar o hardware para que a solução funcione corretamente. O software SaaS leva 1 dia para fornecer o login e senha, e para que ele seja utilizado da melhor forma possível, colocamos cerca de 2 semanas para que o keyuser aprenda a usufruir de todas as funcionalidades.

Por fim, ressalto que a inteligência de cloud apresenta como maior benefício uma frase que já destaquei neste artigo: a tecnologia em nuvem apoia na potencialização do tempo e talento humano. Ao contrário do que se é imaginado quando falamos de automatizar os processos, os recursos tecnológicos não vêm para acabar com os empregos. Eles surgem para que os colaboradores consigam aprimorar suas habilidades em outras funções, que demandam ações mais estratégicas e assertivas.

Você, empreendedor, C-Level, sócio ou gestor de uma empresa, se faça a seguinte pergunta todos os dias: onde que eu posso otimizar meu processo para que eu potencialize o tempo e o talento humano na minha empresa, entregando mais a cada dia e maximizando meus resultados? Assim que achar as atividades diárias que mais geram problemas e conseguir agilizar isso, você poderá usar sua capacidade produtiva para chegar muito além do que planejou.

A inteligência de cloud é nossa melhor amiga dentro das corporações e precisamos utilizá-la ao nosso favor.

*Por Thiago Nicioli Furtado, CEO da GETT Tecnologia para Comércio Exterior, especializado em liderança organizacional e estratégias de mercado.

**Sobre a GETT: fundada em 2008, a GETT nasceu com o princípio de tornar a tecnologia um fator a favor dos negócios. Suas soluções são desenvolvidas e aplicadas por profissionais multidisciplinares em Comércio Exterior e em desenvolvimento de softwares com as mais modernas e seguras tecnologias.

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail