Home > Colunas

Bolsa de Valores, 7 erros que fazem o investidor quebrar

Com 1,6 milhão de pessoas físicas cadastradas, 2019 foi o ano do boom da Bolsa de Valores.

*Daniela Casabona

19/01/2020 às 16h11

Foto: Shutterstock

Com 1,6 milhão de pessoas físicas cadastradas, 2019 foi o ano do boom da Bolsa de Valores. É fato que o interesse pelo mercado aumentou muito, mas isso não se traduz imediatamente em uma boa performance. Isto é, por mais que as pessoas estejam procurando por mais informações técnicas do mercado ainda existe um ‘gap’ entre o que as pessoas acham que é investir na renda variável e como o mercado financeiro funciona. “Estudiosos do tema atribuem a causa da baixa performance ao behavior gap”, explica Daniela Casabona, Sócia-Diretora da FB Wealth. Segundo Casabona, esses erros são muito mais emocionais do que técnicos. “Dessa forma, muitas vezes o investidor novato pode ter a ilusão de estar indo bem, mas na verdade ele está se autodestruindo. Nesses casos, saber o que não fazer já é um excelente começo. São como regras de segurança”, diz. A Sócia-Diretora da FB Wealth e Assessora Financeira lembrou os principais erros cometidos por questões comportamentais.

Efeito retrovisor

“Esse é um dos erros mais comuns. Ele tem origem justamente no pensamento de que a Bolsa deve trazer bons retornos no curto prazo. Na verdade, o mercado de ações deve ser visto como um investimento de longo prazo e, se for visto dessa maneira, o desempenho de cada papel também deve ser analisado através de um longo período de tempo”.

A estratégia do “Eu Também”

“É preciso tomar cuidado com o sentimento de manada. As informações se espalham muito rápido no mercado, mas geralmente quando a maioria das pessoas já sabe de algo é tarde demais. O planejamento financeiro muda de acordo com a pessoa e tem muitos fatores envolvidos. Perfil de risco, patrimônio aportado, objetivos, tempo de investimento, etc. É melhor focar no seu próprio planejamento, para não se perder no caminho”.

Efeito Las Vegas

“Em alguns casos ações podem valorizar muito em um dia, promovendo bons ganhos rapidamente. Na verdade, essas subidas tem muito mais a ver com a sorte do que com o planejamento em si. A bolsa não deve ser tratada como um cassino, até porque, assim como nos cassinos, o investidor pode perder todo o seu capital ou grande parte dele”.

Negociar baseado em notícias

“As notícias são diárias, mas os investimentos não precisam ser. É claro que é muito importante se informar sobre as empresas que você tem dinheiro investido, porém, às vezes, as notícias podem gerar flutuações muito grandes durante um dia e não é incomum que depois de um tempo a ação volte ao seu valor padrão, fazendo com que o investidor acabe se desfazendo de posições muito precocemente”.

Medo e ganância

“Esses dois sentimentos são inimigos do mercado. É preciso ter muita cautela. Segurar uma ação por tempo demais, ou de menos, pode prejudicar seus ganhos, por isso é preciso deixar os dois de lado e focar na análise técnica”.

Ânsia por resultados rápidos

“Esse tópico tem muito a ver com o anterior. É muito importante ter consciência de que a renda variável é um investimento de longo prazo. O Ibovespa, por exemplo, valorizou 25% nos últimos 12 meses, outras carteiras de investimento valorizaram até mais do que isso no mesmo tempo, porém, se ao invés de confiar no longo prazo o investidor buscar ter resultados rápidos é muito provável que ele tenha um desempenho bem pior”.

Psicologia humana

“É bastante difícil agir de maneira racional todo o tempo. As vezes o próprio psicológico do investidor pode leva-lo a supervalorizar os seus ganhos e menosprezar as perdas, o que, no final, acaba dando a falsa noção de que ele está fazendo tudo certo. O planejamento é importante justamente por isso, para minimizar as falsas impressões”.

*Por Daniela Casabona, Sócia-Diretora da FB Wealth, lista os principais erros dos investidores iniciantes

**Sobre a FB Wealth: a FB Wealth é uma empresa especializada em planejamento patrimonial, que utiliza uma metodologia usada pelos principais players internacionais e uma análise personalizada de cada cliente. A empresa trabalha com o foco na construção e crescimento adequado do patrimônio de seus clientes e a preservação do poder de compra. Diferente de muitas empresas, a FB Wealth nasceu com o potencial de ser uma das maiores do país, com o patrimônio da carteira de seus clientes superando R$ 5 bilhões.

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail