Oi! Escolha uma opção para entrar

Nunca postaremos nas suas redes sociais

Se preferir, entre com seu e-mail

Esqueceu sua senha?
Não tem conta? cadastre-se grátis

Preencha o formulário abaixo para finalizar seu cadastro:


Chief Digital Officer: carreira emergente ou passageira?

Por

em Carreira

4 anos atrás

A emergência da ampliação da presença digital das empresas e a criação de estratégias específicas para o mundo on-line fizeram surgir a carreira de Chief Digital Officer (CDO). No entanto, o mercado, hoje, divide-se quanto ao futuro dessa profissão. Trata-se de um título em ascensão ou passageiro?

Em solo nacional, a carreira é considerada emergente por alguns analistas, mas na Europa, por exemplo, o CDO já é uma realidade. Números indicam que o volume de CDOs no mundo aumentará de 500 em 2013 para 1 mil até o final deste ano. O instituto de pesquisas Gartner indicou recentemente que, apesar do crescimento de 20% na presença de um chief digital officer em organizações de todo o mundo nos próximos dois anos, essa figura deve desaparecer em cinco anos, dando lugar a uma nova estrutura em que a digitalização dos negócios passa a permear toda a camada C-level. 

Na opinião de João Francisco Lemos, country manager da Adzuna no Brasil, agregador de oportunidades de empregos, esse profissional está definitivamente em crescimento, mas também em definição, já que ele exerce um conjunto novo de atribuições. “Ainda não é tão significativa a presença do CDO no mercado brasileiro com essa nomenclatura, pois ele ainda é frequentemente confundido com o profissional em um cargo de gerenciamento de marketing digital”, diz. O nome ainda é difuso no Brasil, mas a função está sendo moldada a partir das competências em demanda, completa.

Segundo ele, o CDO trabalha em um nível e uma escala de gestão diferente: ele coordena funções integradas de uma empresa que adota o digital como função central e não apenas colateral. “Há empresas que partem do princípio de que todas suas operações envolvem ações digitais e são essas que hoje encontram a necessidade desse especialista, cujo o maior desafio é combinar capacidades administrativas, gerenciais e conhecimento das operações em TI”, pontua.

Lemos relata que esse talento integra a gestão de operações digitais e pode ser encontrado nas áreas de Marketing, Administração ou TI. De acordo com o executivo, entre junho de 2014 e outubro deste ano, houve aumento de 3,4% na procura por esse profissional no Brasil, reunindo cargos de gerenciamento sênior cuja função inclui operações digitais de TI. “No entanto, essa busca ainda não encontra número relevante para a nomenclatura CDO”, observa. A expectativa é de aumento na demanda para 2015, visto que o setor em geral continua aquecido.

Na opinião de Gabriel Borges, CEO da Ampfy, agência digital, atualmente é muito difícil organizações contarem com um guardião das iniciativas digitais. Quando isso acontece, esse profissional tem vivência em diversas áreas, não necessariamente ter trabalhado com TI, mas entende a dinâmica de tecnologia da informação. “A formação exige vivência. Não existe um curso que traz tudo o que o profissional precisa”, constata.

Borges acredita que esse profissional vai abraçar as iniciativas de omni-channel, tão buscadas pelas companhias que querem fidelizar e engajar clientes. “Talvez seja essa a grande pedra fundamental para a existência desse profissional”, opina. 

Por se tratar de um profissional raro, Lemos indica que a faixa salarial para gestores de alto nível pode girar em torno de R$ 15 mil até R$ 30 mil se for um perfil de administração. Ou entre R$15 mil até R$ 40 mil for um perfil de TI. “O montante pode variar muito de acordo com nível de senioridade e competências assim como tamanho da empresa, claro. É um perfil bastante específico”, pontua.

Nova posição para o CIO?
O Gartner prevê que o CIO terá a oportunidade de ficar à frente de iniciativas digitais nas companhias e migrar para o cargo de CDO. Alguns líderes de TI no Brasil já têm em seu dia a dia projetos de transformação digitais, como é o caso de Agenor Leão, CIO da Natura.  

A empresa criou a Rede Natura, plataforma digital que permite aos consultores criarem seus espaços na internet para a comercialização de produtos cosméticos, moda, acessórios e decoração. A nova plataforma, que nasceu a partir da TI, expande a experiência de compra, cria  canais de relacionamento dos consultores e da empresa com o consumidor e amplia a capacidade de geração de negócios. O executivo discutirá o tema no IT Forum Expo/Black Hat 2014, que acontece nos dias 25 e 26 de novembro em São Paulo.

Independentemente de quem irá assumir o título de CDO, o desafio desse profissional, que terá de atuar também no universo off-line, é enorme, já que cresce a importância de iniciativas digitais nas organizações e aumentam as expectativas por melhores interações com os clientes em um mercado pautado pela alta competitividade. 

Receba grátis as principais notícias do setor de TI

Newsletter por e-mail