Home > Tecnologia e Equidade: o caminho para uma nação digital

“Instruções para um Futuro Imaterial” – livro de Stefano Quintarelli

Livro editado com apoio do Instituto Tecnologia e Equidade

Marcio Vasconcelos

14/03/2019 às 15h36

Foto:

Como já comentei em outras oportunidades, sou um dos diretores  do Instituto Tecnologia e Equidade (IT&E), que é uma organização sem fins lucrativos. A nossa missão é  alcançar a equidade com o uso ético da tecnologia.

No  nosso trabalho, temos a grata oportunidade de conviver com pensadores e intelectuais em nível global sobre temas ligados à tecnologia e ao futuro da humanidade.

Vou aproveitar esse espaço para divulgar um livro que apoiamos a publicação e que tem conexão direta com nossa missão. Esclareço que não recebemos parte da renda das vendas. O  nosso apoio foi dado por  uma fundação internacional que  nos doou os recursos para apoiar a tradução do livro. Meu objetivo é divulgar o que acredito ser uma obra importante para a missão do IT&E.

O livro é de autoria de Stefano Quintarelli que foi deputado no Parlamento italiano entre 2013 e 2018, responsável pelo programa Agenda Digital para a Escolha Cívica para a Itália e vice-ministro do Ministério do Desenvolvimento Econômico (Governo Letta) da Itália. Atualmente é Presidente do Comitê Diretor da Agência para a Itália Digital.

Melhor do que  tentar explicar ou resumir o livro, decidi pegar emprestadas as palavras do conselheiro do IT&E, Ricardo Abramovay, que escreveu o prefácio do livro  com Rafael Zanatta.


O ponto de partida deste livro está na rejeição da internet como algo virtual. Quintarelli rejeita a ideia de que existe um ciberespaço, em oposição ao espaço real, como se um fosse imaginário e somente o outro, palpável. Ao contrário, a revolução digital abre caminho a uma dimensão cuja realidade não poderia ser mais explícita: a dimensão imaterial, fundamental para os indivíduos e determinante para o uso que fazem dos materiais, da energia e dos recursos bióticos de que dependem.

A obra também mostra que as instituições das sociedades democráticas estão bem pouco preparadas para enfrentar os desafios que já estão ocorrendo. O ritmo das mudanças tecnológicas é exponencial, e o tempo da política não tem sido capaz de acompanhá-lo. Para Quintarelli, porém, não há motivo para pânico — ou para uma luta vã “contra as tecnologias”. Há, sim, uma urgência de compreender o tipo de economia gerada pelo avanço tecnológico, seu impacto social e as possibilidades de regulação. De certo modo, o livro retoma uma velha lição de Spinoza: non ridere, non lugere, neque detestare, sed intellegere. Nem rir, nem chorar, nem detestar, mas sim compreender.

— Ricardo Abramovay e Rafael A. F. Zanatta, no prefácio


Compartilho também a entrevista que contou com a participação do Ricardo Abramovay e do Rafael Zanatta para o Programa Capital Natural - Futuro Imaterial - parte 1 e parte 2.

O livro foi lançado em vários eventos de alto nível como este “Democracia, Autonomia e o Futuro Imaterial Conectado: Debate com Stefano Quintarelli” no Instituto de Estudos Avançados da USP. Também foi lançado no Dia da Internet Segura, em um evento realizado na sede do Comitê de Governança da Internet.

No IT&E, consideramos importante promover o debate sobre os “efeitos exponenciais” da computação e da inteligência artificial, a ubiquidade dos dispositivos eletrônicos conectados à internet, à coleta massiva de dados, à proteção de dados pessoais e à manutenção das relações sociais, trabalho e democracia em ambientes automatizados.

O livro “Instruções para um futuro imaterial” (Editora Elefante), de Stefano Quintarelli, é uma leitura muito interessante para quem tem essa mesma preocupação.

Se quiser entrar em contato, mande um email para mim.

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail