Home > Cultura maker: facilitando a inovação nas empresas

Os Makers e a Reciclagem

Um dos assuntos mais comentados na área da tecnologia, é o destino dado aos aparelhos usados e, seu perigo na natureza.

Mauricio Ramos

23/01/2020 às 8h23

CNC caseira
Foto: Mauricio Ramos

Um dos assuntos mais comentados na área da tecnologia é o destino dado aos aparelhos usados e seu perigo na natureza, reciclagem.

Acho que a maioria da população já ouviu falar da contaminação de componentes, como:

  • Mercúrio: que é o principal elemento utilizado nos computadores, monitores, em TV de tela plana, termômetro, barômetros e também nas lâmpadas fluorescentes. O convívio frequente com esses elementos pode causar transtornos digestivos, estomatite, hipertensão, problemas no sistema nervoso central, além de ser cancerígeno.
  • Arsênico: que é um elemento químico utilizados em aparelhos celulares. Em relação ao risco para a saúde, podemos destacar que o elemento é cancerígeno para a nossa pele, pulmão, bexiga e rins. Além disso, pode vir a causar doenças vasculares periférica e lesões dérmicas tanto hiper, quanto hipopigmentação.
  • Cádmio: que é o responsável pelo funcionamento das baterias, especialmente nas baterias de níquel-cádmio. Em alguns casos, pode ser usado em televisores, e agir em outros aparelhos como semicondutores. O problema deste elemento para o nosso corpo não é intenso, entretanto pode causar irritabilidade, náusea, dor abdominal e anemia.
  • Berílio: que normalmente é utilizado em equipamentos de informática, além de ser empregado em construções de diferentes dispositivos que convivemos normalmente, como o computador, celular, foguetes, projéteis e giroscópios. Para o nosso corpo, este elemento pode causar uma intoxicação crônica ou câncer no pulmão. (Fonte:colégio web)

Existem mais elementos perigosos utilizados na indústria da tecnologia, estes são apenas alguns exemplos para se ter uma ideia. Assim, entra em cena a importância da destinação correta destes equipamentos ou sua reaproveitação, aumentando a vida útil dos mesmos.

Neste ponto os Makers podem se destacar! Dispostos a criar novos inventos utilizando materiais que tem em mãos, reciclar é uma constante em seus projetos.

Recentemente resolvemos ensinar os princípios das impressoras 3d e das cortadoras laser e CNC para uma turma de alunos nossos. Para isto, utilizamos drivers usados de DVD-Rom, retirados de sucatas de computadores. Com dois drivers podemos criar um modelo tridimensional para movimentar uma pequena retifica a pilhas, uma caneta, ou até mesmo um bisturi para corte de papel.

Os lasers do leitor ainda podem ser reutilizados para outros projetos, tomando os devidos cuidados, por serem de alta potência. Destes drivers reutilizamos os motores, são 3 ao todo. Sendo que um, o de passo, é o principal para nosso projeto. Ainda reutilizamos as carcaças e o sistema de avanço do cabeçote!

Praticamente tudo no drive é reutilizado. As placas que não são, guardamos para dar destino adequado! Juntamos essas peças à um Arduino Uno e um Shield controlar CNC.
Pronto! Temos um sistema de baixo custo, cerca de R$ 50,00, que pode ser levado para casa pelo aluno para maiores estudos! Diversos são os exemplos como este no mundo Maker. É comum guardarmos coisas “quebradas” ou “obsoletas” em nossas oficinas para aproveitamento futuro.

Mas, e dentro das empresas?

Dei suporte em TI por mais de 20 anos. Quantas vezes ganhei peças, computadores, monitores, placas, impressoras e fax, que foram substituídos por novos. Vi também muitas peças nas oficinas e ferramentarias destas empresas, que acabei aproveitando em meus projetos.

Existem verdadeiros tesouros jogados dentro de salas, esquecidos nos cantos das fábricas. Imagine quanta inovação poderia ser criada a baixo custo reaproveitando: motores, painéis, sensores, etc, que foram simplesmente abandonados em perfeito estado por estarem “obsoletos”, ou por outro equipamento novo tê-los substituído!

Muitas foram as vezes que conversei com colaboradores cheios de ideias dentro destas oficinas que não tiveram a oportunidade de testá-las. Isso poderia trazer para estas empresas inovação ao mais baixo custo possível. Mas seus administradores e chefes acostumados com a rotina preferem gastar milhares de reais, ou até mesmo dólares, comprando a ideias de vendedores com suas fabulosas soluções “importadas”!

Programas de estimulo à inovação devem ser adotados por todos empresários. Além de estimular os colaboradores, trazem resultados surpreendentes para a empresa. Quem não se orgulharia de ver uma ideia sendo usada na rotina de trabalho em sua empresa? Já falamos sobre os Hackatons, maratonas de desenvolvimento, adotadas ou patrocinadas por grandes empresas do mundo todo. Essa é uma nova cultura de desenvolvimento para empresas.

No filme Ford x Ferrari, vemos Henri Ford II, parar a fábrica da Ford, e mandar todos funcionários para casa, ordenado que os mesmos pensassem em inovações para superar a concorrência, sob pena de perder seus empregos! Surge então a ideia de associar a Ford a carros de corrida, atraindo o crescente público jovem para o mundo dos carros!

Vejam como sempre já alguma pessoa próxima a nós com novas ideias para aproveitar o recriar, inovando a um custo baixo. São os Makers, que muitas vezes não sabem que são, mas que podem ser descobertos por seus chefes, que com talento e liderança podem levá-los a inovação e a vitória!

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail