Home > Notícias

Como a tecnologia ajudou a estruturar o Campeonato Espanhol

La Liga adota plataformas de gestão da SAP e aposta em tecnologias emergentes

06/06/2018 às 9h59

cristiano ronaldo
Foto:

Cristiano Ronaldo, Lionel Messi, Philippe Coutinho e Luis Suárez são alguns dos craques que brilham nos gramados da Espanha. Os jogadores dos poderosos Real Madrid e Barcelona, com seus valores astronômicos de mercado, demonstram o poder de uma liga como o Campeonato Espanhol e o quanto o futebol, quando bem organizado, pode ir muito além de um esporte e de fato se tornar uma indústria lucrativa.

Atualmente, a liga espanhola de futebol é exibida em 189 países e é assistida por cerca de 2,6 bilhões de pessoas. O principal clássico do país, entre Real Madrid e Barcelona, é o jogo mais visto em todo o mundo - a audiência global estimada é de 650 milhões de espectadores, superando, por exemplo, o Super Bowl, final da liga de futebol americano nos EUA.

Mas, para chegar ao nível atual, a liga passou por uma grande reestruturação, que teve a tecnologia como um dos principais pilares.

Carlos Ruiz-Ocaña, líder de comunicação da La Liga, marca que administra o campeonato, lembra o tamanho do avanço de 2010, quando a empresa responsável pela organização da competição tinha apenas 40 pessoas, até hoje, oito anos depois, com mais de 400. Ele explica que, basicamente, foram traçados três principais objetivos.

O primeiro deles foi a criação de um sistema de controle das finanças dos clubes, que visa analisar a receita de cada time e orientar os gastos. Outro foco foi centralizar os valores de cotas de televisão, eliminando grandes disparidades. Segundo Ruiz-Ocaña, a diferença entre clubes chegava a dez vezes e, atualmente, o valor é de apenas três vezes. Mas, nesse caso, vale considerar o tamanho da diferença de relevância entre os times. No Brasil, por exemplo, clubes basicamente do mesmo porte chegam a ter disparidades ainda maiores. Por fim, outra iniciativa foi a internacionalização da marca.

"Éramos uma associação e agora somos um negócio de entretenimento. Adaptamos nossos processos e formas de trabalhar para virarmos uma companhia", define Jose Guerra, diretor de operações da La Liga.

Tecnologia

Plataformas tecnológicas tiveram papel essencial para suportar o crescimento da liga. Para impulsionar seus negócios e conquistar a economia digital, a companhia passou a gerenciar seus negócios com o S/4 Hana, ferramenta de ERP da multinacional alemã SAP, empresa que convidou representantes da liga espanhola para participar do Sapphire Now, evento anual da SAP realizado nesta semana em Orlando, nos EUA.

Guerra diz que a escolha da plataforma em cloud se deu por conta da capacidade de se adaptar às mudanças da organização. "Também queríamos algo escalável", explicou.

Além da solução de ERP, a empresa utilizou a ferramenta SuccesFactors para gerenciamento do setor de recursos humanos, além do SAP Ariba para transações e relacionamento com fornecedores.

Inovações

A criação de todo uma base tecnológica com ferramentas de gestão permitiu não só o crescimento da liga, mas também a possibilidade de implementar e testar inovações.

Um dos casos citados pelos executivos é o uso de analytics e big data para conhecer melhor o perfil dos fãs. "No futuro, sabemos que as novas gerações vão querer um espetáculo diferente. Precisamos adaptar nosso produto para o novo grupo de consumidor", diz Guerra.

Também em analytics, a liga implementou ferramentas que monitoram todos os jogadores em tempo real para que qualquer técnico consiga, por meio de um tablet ou notebook, saber dados de cada atleta.

Outra iniciativa é o teste de óculos de realidade virtual (VR) para transmissão de jogos ao vivo. Uma demonstração foi feita utilizando o Barcelona durante a feira Mobile World Congress, em fevereiro deste ano, mas algo ainda embrionário, segundo Ruiz-Ocaña.

*O jornalista viajou a Orlando (EUA) a convite da SAP

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail