Oi! Escolha uma opção para entrar

Nunca postaremos nas suas redes sociais

Se preferir, entre com seu e-mail

Esqueceu sua senha?
Não tem conta? cadastre-se grátis

Preencha o formulário abaixo para finalizar seu cadastro:

Internet 2 avança no Brasil

Por

em Digital

7 anos atrás

Redes de pesquisa que já assinaram MoU

  • Austrália, www.aarnet.edu.au
  • Consórcio Ásia-Pacífico, www.apan.net
  • Consórcio Apan-Korea,kr.apan.net
  • Eslovênia, www.arnes.si
  • Bélgica, www.belnet.be
  • Canadá, www.canarie.ca
  • República Tcheca, www.ten.cz
  • México, www.cudi.edu.mx
  • Consórcio Europeu 1, www.dante.org
  • Consórcio Europeu 2, www.terena.nl
  • Alemanha, www.dfn.de/dfn
  • França, www.renater.fr
  • Grécia, www.grnet.gr
  • Irlanda, www.heanet.ie
  • Hungria, www.hungarnet.hu
  • Itália, www.infn.it
  • Israel, www.machba.ac.il
  • Consórcio dos Países Nórdicos, www.nordu.net
  • Polônia, www.pol34.pl
  • Portugal, www.fccn.pt
  • Espanha, www.rediris.es
  • Luxemburgo, www.restena.lu
  • Chile, www.reuna.cl
  • Cingapura, www.singaren.net.sg
  • Holanda, www.surfbureau.nl
  • Suiça, www.switch.ch
  • Taiwan, www.tanet2.net.tw
  • Reino Unido, www.ukerna.ac.uk
  • “Estamos implantando desde maio deste ano um nova rede de backbone com tecnologia ATM para as regiões de maior tráfego e de Frame Relay para as áreas com menor intensidade, que deve chegar a capacidade de 155 Mbits por segundo”, conta José Luiz Ribeiro Filho, coordenador-geral do RNP (Rede Nacional de Pesquisa – programa do Ministério Brasileiro de Ciência e Tecnologia). A expectativa é de que esteja pronta e conectada à Internet norte-americana até o final do ano.

    Uma das mais importantes aplicações do projeto é o intercâmbio entre áreas de intensa pesquisa, como a medicina. Em São Paulo, por exemplo, a RNP já fechou parceria com a Universidade de São Paulo (USP), a Pontifícia Universidade Católica (PUC-SP), o Instituto do Coração do Hospital das Clínicas (Incor) e a Escola Paulista de Medicina, além da Telefônica e Net para o fornecimento de infra-estrutura.

    “A rede que estamos construindo vai permitir sincronismo do pacote de voz e dados e aplicações específicas principalmente para vídeo-conferências”, explica Eduardo Bonilha, coordenador adjunto do centro de computação eletrônica da USP.

    No Rio de Janeiro, o projeto vai utilizar rede da Telemar para interligar a Universidade Federal, a Fundação Osvaldo Cruz, a PUC e o Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF). Já em Santa Catarina, independente do projeto federal de Internet 2, o governo estadual, universidades e centros de pesquisa estão criando uma rede paralela para ligar todos os institutos do estado, principalmente do interior.

    “Vamos implantar a rede gradativamente em doze municípios interligando todos os centros de pesquisa”, detalha Edison Melo, um dos coordenadores do projeto de Santa Catarina. A Internet 2 do estado conta com o apoio da Telesc, que está instalando a rede de fibra óptica, e investimentos em torno de US$ 5 milhões da Fundação Catarinense de Ciência e Tecnologia (Funcitec) em parceria com a Telesc Brasil Telecom, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC) e a Associação Catarinense das Fundações Educacionais (Acafe).

    Intercâmbio global

    O projeto surgiu em 1996, com 34 universidades americanas que se associaram e formaram o Cômite Geral de Trabalho da Internet2, com o objetivo de desenvolver bibliotecas virtuais, ambientes colaborativos em laboratórios com instrumentação remota, promover debates virtuais, trabalhos em grupo, telemedicina, projeção de telas em três dimensões, controle remoto e pesquisas médicas. A partir de 1997, com o apoio do governo federal norte-americano, o projeto tornou-se global e extensivo a qualquer universidade ou centro de pesquisa.

    Para fixar metas comuns foi criado o Memorandum of Understanding (MoU – memorandos de entendimento) que cria acordos de trabalho entre centros acadêmicos de diversos países. O Brasil estabaleceu um acordo MoU com o projeto de Internet2, através da RNP, em outubro de 1997.

    Desde então, o RNP e o CNPq (Centro Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) já fechou parcerias com diversos centros de pesquisa e instituições de ensino nos principais estados brasileiros para construção de uma nova rede de backbone, capacitar recursos humanos e desenvolver aplicações sofisticadas com recursos interativos e de multimídia.


    Receba grátis as principais notícias do setor de TI

    Notícias por push

    Ativar

    Notícias marcadas

    Personalize sua home

    Ative ou desative as categorias abaixo:

    • Carreira
    • Digital
    • Gestão
    • Mercado
    • Segurança
    • Startups
    • Tech
    • TI de Negócios