Oi! Escolha uma opção para entrar

Nunca postaremos nas suas redes sociais

Se preferir, entre com seu e-mail

Esqueceu sua senha?
Não tem conta? cadastre-se grátis

Preencha o formulário abaixo para finalizar seu cadastro:

Westcon-Comstor aposta na transformação digital do setor de educação

Por Carlos Leal da SHEDI - Silvia Helena Editora

em Transformação digital

4 semanas atrás

Parcerias garantem à revenda aplicativos para atender ao segmento

A Westcon-Comstor está promovendo uma série de iniciativas visando contribuir para que as revendas possam assistir os clientes da área de educação em sua jornada de transformação digital. Parcerias com diferentes desenvolvedores de software e com a Nethics, especializada em direito digital, asseguram que o setor educacional tenha acesso às melhores ferramentas e também a orientações que permitam avançar em direção à transformação digital sem incorrer em questões legais.

Exemplo das ferramentas que vêm sendo desenvolvidas por parceiros da Westcon na área da educação foram mostradas pela ITCore e pela Big Brain durante o maior evento de educação da América Latina, o BETT Educar, que aconteceu este mês em São Paulo e contou também com palestra da advogada Alessandra Borelli, diretora executiva da Nethics, que levou recomendações às escolas e universidades quanto ao procedimento correto diante da inevitável exposição às redes sociais.

“Nós estamos nos preparando com empenho para acompanhar as transformações que vêm se operando em toda a sociedade no que toca ao uso das tecnologias digitais, e a educação é um dos segmentos que sofre maior impacto nessa realidade”, observa Carolina Gomes, Business Development Manager, Vertical Education. Ela lembra que a educação está entre os mercados verticais – ao lado de manufatura, saúde e varejo – escolhidos como foco do programa Next Level, criado pela Westcon-Comstor para proporcionar às revendas condições de atender às necessidades de negócio das empresas.

Novos desenvolvimentos

A ITCore mostrou software de reconhecimento facial, que desenvolveu com a motivação de reduzir a evasão de alunos do ensino fundamental, médio e superior ao verificar, individualmente, o absenteísmo. A ferramenta, em fase de lançamento, é útil também para outras finalidades, como maior produtividade do professor – que não precisa “roubar” tempo em classe para fazer a chamada –, e para verificar o grau de atenção de cada um dos alunos durante as aulas.

A ITCore utilizou plataforma LMS (Learning Management System) aberta para desenvolver esse software, oferecido como serviço ao mercado (em nuvem, hospedado) na plataforma Azure. Também a Big Brain utiliza o Azure na oferta do Big Classroom, ambiente de colaboração entre professores e alunos criado a partir de tecnologia Microsoft.

Para Antonio Moraes, diretor da área de educação da Microsoft para o Brasil, “a Westcon tem sido muito hábil em estender nossa parceria a terceiros, que desenvolvem aplicações para levar soluções completas ao cliente. No caso da educação, trata-se de um mercado importante, pois há 200 mil escolas no Brasil”.

Cuidado com a internet

A Nethics Educação Digital é uma empresa voltada para o uso ético e seguro da internet, com o objetivo de firmar e inspirar comportamentos positivos e saudáveis na interação de crianças, jovens e adolescentes com as tecnologias da informação e comunicação. Com informações, orientações, ferramentas e materiais diversificados, a Nethics oferece subsídios para que os educadores desempenhem seus papéis com excelência neste importante desafio.

Advogando a criação, nas escolas e universidades, do cargo de gestor de riscos, Alessandra Borelli, diretora executiva da Nethics, chamou atenção de professores e da administração de instituições escolares para as vantagens de se utilizar “sistemas fechados” na comunicação com a comunidade. Ela apresentou uma lista mostrando o que fazer e, sobretudo, o que não fazer.

  • Pense bem antes de utilizar uma mídia que não seja educacional para interagir com alunos e família. Lembre-se do poder de perpetuidade e disseminação da internet;
  • Realize a configuração de privacidade dos perfis – isso mitigará riscos, mas não os afastará de modo absoluto;
  • Cuidado com as terminologias que usa nesse ambiente, mesmo quando não tem alunos em seu rol de amigos – professor é referência, e uma emoji fala mais que mil palavras;
  • O modo como expressa e lida com determinados assuntos – não adianta você pregar a paz na sala de aula e mostrar-se intolerante nas redes sociais;
  • Evite exposição em excesso, fatos e fotos comprometedoras. Muitos anseiam por privacidade, mas depois de postar toda a sua vida no Facebook;
  • Escolha suas batalhas, debates etc – há coisas que podem ser melhor discutidas pessoalmente, longe de câmeras e microfones, sem sono, sem fome e sem bebida;
  • Jamais responda a provocações. Pode ser uma armadilha. Na internet, um minuto pode mudar tudo para sempre.

Receba grátis as principais notícias do setor de TI

Newsletter por e-mail