Home > Notícias

Em São Paulo, você já pode pagar o metrô ou trem pelo celular

Estações do Metrô e CPTM iniciaram nesta semana um projeto-piloto com duração de 45 dias para o uso de QR Codes.

Redação

04/09/2019 às 13h06

Foto: Shutterstock

Se você mora em São Paulo e vive esquecendo de carregar o famoso Bilhete Único; ou se sempre anda com o smartphone mas esquece dinheiro ou as passagens do Metrô ou CPTM; agora ganha uma vantagem no transporte público.

Um projeto-piloto para o sistema metroferroviário, que contempla o Metrô e a CPTM, passa a aceitar bilhetes unitários (vulgo passagens) por QR Code. Assim, você pode usar o seu smartphone para pagar o ticket e utilizar os serviços.

A iniciativa é da Secretaria de Estado dos Transportes Metropolitanos (STM) e os testes funcionarão por 45 dias, contando a partir da terça-feira (3). O teste é feito em parceria com o Consórcio Metropolitano de Transportes (CMT) e não tem custo para o Governo do Estado.

A STM visa modernizar os sistemas de pagamento de tarifas e oferecer mais praticidade e segurança aos passageiros.

Como participar

Os bilhetes unitários poderão ser comprados por cartão de crédito no aplicativo VouD. Neste caso, será possível usar o QR Code na tela do celular para validá-los nas estações.

Se o usuário optar por fazer a compra com cartão de débito, poderá usar os códigos impressos nas máquinas de autoatendimento nas estações participantes. Assim, basta usar o código nos leitores instalados. Pagamentos em dinheiro poderão ser feitos nas bilheterias das estações.

Estas são as estações que participam dos testes:

  • CPTM: Autódromo (Linha 9-Esmeralda), Tamanduateí (Linha 10-Turquesa), Dom Bosco (Linha 11-Coral) e Aeroporto-Guarulhos (Linha 13-Jade).
  • Metrô: São Judas (Linha 1-Azul), Paraíso (linha 1-Azul e 2-Verde) e Pedro II (Linha 3-Vermelha).

A STM alerta que, nos primeiros 15 dias, para códigos impressos, as vendas ocorrerão das 9h às 16h. Depois desse período, ocorrerão durante todo o período de operação.

Vale lembrar também que no caso dos códigos impressos há a deterioração do material. Eles são regularmente válidos até 18 de outubro, que é quando fecha o período de testes, mas a recomendação é que sejam usados em até 72 horas.

O teste de modernização não tem nenhuma confirmação, entretanto, de se tornar definitivo. Em nota, a STM diz que "a ideia é que o QR Code substitua futuramente a maior parte dos pagamentos com o bilhete magnético unitário". Na CPTM, em média, 25% dos passageiros pagantes utilizam esse tipo de bilhete. No Metrô, o percentual é de 15%.

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail