Home > Notícias

Em tempos de obsessão pelo cliente, CTO ganha destaque em empresas de TI

Déborah Oliveira

14/03/2016 às 11h23

Em tempos de obsessão pelo cliente
Foto:

O foco no cliente nunca esteve tão em evidência quanto nos dias de hoje. Empresas estão mais próximas dos clientes para fortalecer o atendimento e serem mais assertivas em seus relacionamentos. Em razão desse quadro, o papel do chief technology officer (CTO) ganha destaque em companhias de TI. 
Parte do trabalho desse talento é ser um evangelizador, entender as necessidades dos CIOs, levar para o board da fabricante as demandas atuais e futuras e responder com produtos e serviços que estejam em linha.
“Meu papel como CTO é especialmente voltado para fora da empresa, sendo responsável por levar a voz do cliente para a fabricante gerando vantagem competitiva para os usuários”, relata Morne Rossow, CTO da Sofware AG, completando que ele e seu time vão sempre a campo para entender os desafios das empresas. Sua missão, assinalou em entrevista ao IT Forum 365, é manter-se conectado com as pessoas. “Inovação não pode acontecer sem sair de casa e ouvir, de fato, o cliente”, observa. 
E, segundo Rossow, dois dos principais desafios das organizações hoje são redução de custos e ingresso no mundo digital. “Organizações olham para o cenário atual e querem fazer mais com menos. Por isso, todas elas estão se reorganizando”, pontua. 
Sobre a digitalização, o executivo destaca que companhias estão em diferentes estágios e que essa não é apenas uma moda do mercado. O tema veio para ficar, garante. O que ele tem observado é uma transformação por partes para depois ampliar as ações. 
Coinovação
Rossow indica que a proximidade com o cliente tem gerado uma série de inovações na Software AG. Como exemplo ele citou uma grande empresa na Alemanha que em razão de necessidades específicas de seu setor de atuação ajuda em desenvolvimentos e além de beneficiar seu negócio, possibilita vantagens para todo o segmento.
A fabricante de software, diz, também investe quantias significativas, que ele não revelou, em pesquisa e desenvolvimento (P&D), além de ter direcionado US$ 1,2 bilhão em aquisições nos últimos quatro anos.
 
Oportunidades
Na visão de Rossow, há muita oportunidade para transformação digital no Brasil, onde os resultados da companhia têm sido satisfatórios, garante. “Acredito que há um sistema legado grande no País e espaço para inovar. Estamos em boa posição para trazer conhecimento de casos para acelerar valor nesse mercado.” 
Segundo ele, a Software AG tem dezenas de casos de sucesso no Brasil que mostram que é possível mudar e crescer mesmo em cenário de adversidades.

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail