Oi! Escolha uma opção para entrar

Nunca postaremos nas suas redes sociais

Se preferir, entre com seu e-mail

Esqueceu sua senha?
Não tem conta? cadastre-se grátis

Preencha o formulário abaixo para finalizar seu cadastro:


eSocial: apenas um terço das médias empresas entregou documentos à Receita

Por Leonardo Lira da Capital Informação

em Gestão

1 mês atrás

Prorrogação do prazo revela que empresas ainda não estão preparadas para a novo sistema do Governo e precisam investir em tecnologia para estar em conformidade

A Receita Federal concedeu às médias empresas – que faturam entre R$ 4,8 e R$78 milhões – mais tempo para inserção de dados no eSocial, novo sistema que centraliza informações de empregadores e empregados. A iniciativa visa atender um pedido das companhias, ampliando em um mês a primeira fase do programa e adiou a segunda etapa no mesmo prazo, o que mostra que as empresas ainda não estão preparadas para a nova obrigatoriedade fiscal.

Mais de um milhão de empresas já se cadastraram na nova plataforma do Governo, porém,muitas encontram dificuldades para concluir o processo. Segundo Robinson Klein, CEO da Rede Cigam, fornecedora de software de gestão empresarial (ERP, CRM, RH, PDV, BPM, Mobile e BI), as companhias precisam investir em tecnologia para automatizar processos e, assim, atender com facilidade os requisitos da nova norma.

“As empresas devem buscar rapidamente soluções em tecnologia que dialogam com a nova base de dados do Governo. A quantidade de informações que devem ser inseridas no e-Social é muita e elas devem ser consistentes, caso contrário deverão ser reinseridas, gerando retrabalho e perda de produtividade”, avalia Klein.

Segmentos como o varejo, por exemplo, que tem alta rotatividade, além de contratações no formato de “primeiro emprego”, terão de ter cuidados redobrados e imprimir maior rapidez na entrega dos documentos de formalização desses contratos de trabalho.

“São processos complexos que demandam tempo e energia. Um sistema de gestão empresarial já adaptado às obrigações do eSocial garante a consistência das informações entregues, além de permitir que os recursos sejam empregados em tarefas estratégicas, aumentando a produtividade da operação”, analisa Klein.

O eSocial unifica as informações fiscais, previdenciárias e trabalhistas dos empreendedores em um banco de dados administrado pelo governo federal, integrando dados do Ministério do Trabalho, da Caixa Econômica, da Secretaria de Previdência e do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), além da própria Receita.

A ferramenta não trará mudanças nas regras trabalhistas e dará mais precisão e agilidade nos processos. No entanto, será preciso mais atenção, pois a transparência acarretará uma maior cobrança governamental. Dessa forma, é preciso se adaptar e estar atento a essa nova exigência.


Receba grátis as principais notícias do setor de TI

Newsletter por e-mail