Oi! Escolha uma opção para entrar

Nunca postaremos nas suas redes sociais

Se preferir, entre com seu e-mail

Esqueceu sua senha?
Não tem conta? cadastre-se grátis

Preencha o formulário abaixo para finalizar seu cadastro:


Organizações esbarram em capacidade digital para adotação de novos modelos de trabalho

Por Redação

em Gestão

3 meses atrás

Companhias buscam adaptação a conceitos como colaboração virtual e trabalho móvel

Estudo realizado pelo Gartner aponta que poucas organizações (de 7% a 18%) possuem capacidade digital para adotar soluções direcionadas a novos modelos de trabalho, como colaboração virtual e trabalho móvel.

O levantamento ouviu 3.120 profissionais de organizações com mais 100 colaboradores nos EUA, Europa e Ásia-Pacífico.

As melhores companhias em capacidade digital estão nos EUA (18,2%), Alemanha (17,6%) e no Reino Unido (17,1%). “Soluções que miram novos meios de trabalho devem apresentar crescimento, mas encontrar as organizações certas para explorar essas tecnologias é desafiador”, comenta Craig Roth, Vice-Presidente de Pesquisa do Gartner.

Jovens inovadores?

Trabalhadores mais jovens são, entre todas as faixas etárias, os que estão mais inclinados a adotar produtos e serviços baseados em ambientes digitais. Esses profissionais possuem uma visão positiva de tecnologia aplicada ao trabalho e uma forte afinidade com o conceito de trabalhar fisicamente fora dos escritórios. Por outro lado, eles são os que menos concordam que o trabalho fica melhor quando realizado em equipe.

O estudo mostra também que os trabalhadores mais velhos estão em segundo lugar quando se trata de propensão para adotar novos formatos de trabalho. Profissionais com 55 a 74 anos possuem opiniões mais positivas sobre trabalho em equipe, estão avançando para modelos com pouca rotina de trabalho e possuem uma visão mais favorável, entre todas as faixas etárias, a respeito de tecnologias para relacionamento e networking.

Já funcionários de 35 a 44 anos são o ponto baixo da adoção, uma vez que acabam se sentindo fadigados com rotinas à medida que a meia idade se aproxima. Eles se mostram mais propensos a considerar que seus trabalhos são rotineiros e a ter uma visão mais vaga de como a tecnologia poderia ajudá-los em suas tarefas, sendo também os menos interessados em trabalhar remotamente.


Receba grátis as principais notícias do setor de TI

Newsletter por e-mail