Home > Notícias

Joe Tucci comenta boatos sobre separação da VMware

25/07/2014 às 11h51

Joe Tucci comenta boatos sobre separação da VMware
Foto:

A EMC aproveitou sua conferência de anúncio dos resultados do segundo trimestre de 2014 com analistas financeiros para discutir se a fabricante de storage deveria fazer um spinoff da VMware, tornando a companhia de virtualização uma operação independente. No entanto, o CEO e presidente da companhia, Joe Tucci, questionou se qualquer vendedor consideraria vender um dos seus ativos mais estratégicos.

Tucci ainda ressaltou a importância da EMC Federation para a EMC, dizendo que os diferentes componentes da EMC trabalham juntos para desenvolver oportunidades que eles não poderiam encontrar sozinhos. 
Nessas conferências financeiras, normalmente Tucci é o último a falar, comentando sobre o estado da corporação. Mas para a surpresa dos analistas, o empresário discursou antes de David Goulden, que além de CFO é CEO da EMC Information Infrastructure, falar sobre as finanças da companhia. 

Tucci falava sobre os rumores divulgados nesta semana de que o fundo de investimentos Elliott Management, que havia injetado US$ 1 bilhão na EMC, estava pedindo que a companhia vendesse a VMware.
De acordo com uma publicação do The Wall Street Journal, a Elliott Management teria como argumento que a EMC Federation, formada pela EMC, VMware, Pivotal e pela companhia de segurança RSA dificultam a valorização da companhia.

Tucci explicou que a Elliott Management contatou a EMC para afirmar que é, ou que pretende ser, o maior investidor da companhia, mas que ainda não houve discussão sobre outros tópicos.

“Eles também requisitaram uma reunião comigo, e eu concordei em me encontrar com eles assim como eu faço periodicamente com todos os nossos grandes investidores. Apenas para registrar, eu acredito profundamente neste princípio, nós, e quando eu digo nós somos os gerentes e diretores, estamos sempre abertos e receptivos a dialogar com nossos acionistas. E nós, respeitosamente, ouvimos suas ideias e crenças enquanto nós formamos nossa política e nossa direção estratégica”, relatou Tucci.

Durante o período de perguntas e respostas da conferência, Tucci foi questionado por um analista financeiro sobre as implicações positivas e negativas em uma possível separação da EMC e VMware.
Mais uma vez, Tucci afirmou não ter se encontrado com ninguém da Elliott Management. “Eu realmente quero ouvir quais são as propostas deles, e estou certo de que eles querem ouvir alguns dos nossos planos tanto quanto os outros acionistas”, avaliou.

Entretanto, Tucci afirmou que, conforme os clients vão em direção ao que a EMC classifica como terceira plataforma da TI, que combina computação móvel, big data, nuvem e novas maneiras de utilizar mídias sociais, a EMC como um todo é a melhor maneira de suportar a transição mesmo que os clientes continuem dependendo das infraestruturas existentes de TI para gerenciar fluxos de trabalho em andamento.

“O jogo inteiro aqui irá ser em como você irá suportar a ‘plataforma 2’ para que eles se sintam confortáveis, e como você irá fazer esta transição para que a jornada deles seja o mais natural possível para a ‘plataforma 3’? Sem dúvidas, nós temos grandes ativos... Para mim, dividi-los, tornando independente um dos seus ativos mais estratégicos - Eu não me lembro de nenhuma outra companhia de tecnologia que tenha feito isso e obtido sucesso”, comparou Tucci.
Tucci ainda ressaltou que a EMC e a Elliott Management concordam em um dos pontos que serão debatidos no futuro encontro: “Nós dois concordamos que a EMC está subavaliada. As questões são: como nós resgatamos esse valor e garantimos isso aos acionistas também?”

Bom para os canais?

Os clientes estão procurando por mais relevância de seus vendedores, não menos, e a EMC Federation, incluindo a VMware, fornece isso, mesmo que haja alguma confusão causada por sobreposição de tecnologias.

“Quando nós planejamos o alinhamento estratégico, nós planejamos alguns overlaps. Nós tivemos algumas confusões no campo e em outros lugares quando tivemos essa sobreposição, mas eu penso que isto é saudável. E é claro, como em qualquer coisa, as notícias ruins viajam muito mais rápido que as boas”, ressaltou Tucci. 

Don James, CEO da Bear Data Solutions, parceira da EMC e da VMware, acredita que a separação poderia ser uma medida positiva para os canais. “Isso iria permitir à EMC focar novamente suas atividades em seu foco principal, que é o gerenciamento de dados, o que eliminaria qualquer confusão em outros fornecedores e canais parceiros sobre as verdadeiras intenções da EMC”, explicou, em e-mail enviado à CRN EUA.

Após Tucci discutir a ideia de planejamento para algumas sobreposições em diferentes partes da EMC Federation, um analista financeiro perguntou se estava havendo sobreposições entre a plataforma ViPR da EMC e a Virtual SAN – ou VSAN-, plataforma de storage definido por software da Vmware.
Tucci explicou que a VSAN é uma extensão da vSphere, também da VMware, que permite ao software gerenciar storage em ambientes virtuais. O ViPR e, mais especificamente, o ScaleIO, da EMC, é uma camada separada fora da VMware, e permite escalar por meio de milhares de servidores físicos com qualquer tipo de hypervisor.

“Nós pensamos que tem muito potencial de mercado para ambas as soluções, e estamos garantindo que possuímos nossas forças de venda alinhadas para que elas possam posicionar os produtos adequadamente. Mas não está acontecendo sobreposição, mesmo entre o ScaleIO e o VSAN. E praticamente não está acontecendo sobreposições no que nós estamos fazendo com o ViPR e o VSAN”, comparou Tucci.

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail