Home > Notícias

Jovem é acusado de roubar US$ 50 milhões usando SIM Swap

Suspeita é de que o jovem faz parte de uma quadrilha que mira participantes de feira de criptomoedas em Nova York

Redação

17/01/2020 às 17h51

Foto: Shutterstock

O jovem Samy Bensaci, 18, é acusado de fazer parte de uma quadrilha que roubou cerca de US$ 50 milhões dos EUA e US$ 300 mil do Canadá em criptomoedas. A técnica utilizada por ele mirava especialistas em blockchain com base no SIM Swap (clonagem de chip).

Ao obter acesso aos números de telefone das vítimas, ele teria sido capaz de acessar as carteiras virtuais com as moedas. Segundo a polícia canadense, a quadrilha agiu em 2018.

Uma fonte policial do La Presse apontou que Bensaci é um dos principais suspeitos da investigação. Ele está sendo acusado de fraude, uso não autorizado de computador, fraude de identidade e roubo de dados.

As vítimas têm em comum o fato de terem participado da feira Consensus, em Nova York. Rob Ross, vítima do esquema que perdeu US$ 1 milhão em criptomoedas em dois ataques, levanta a suspeita do ataque direcionado. "Suspeitamos que os hackers tenham detectado os alvos durante esses eventos", disse.

Em Vancouver, uma vítima de esquema semelhante alegou ter perdido US$ 2,3 milhões em criptomoedas. Outra fonte, que pediu anonimato, afirma que o valor de US$ 300 mil está abaixo do que foi declarado.

Ajuda dos EUA

Em abril de 2019, o Serviço Secreto dos Estados Unidos informou autoridades canadenses sobre o suspeito. Antes disso, duas operadoras de telefonia do Canadá estavam há meses tentando encontrar o jovem.

Investigadores da equipe de crimes cibernéticos da polícia de Toronto foram à casa da família de Bensaci em 21 de novembro. Eles portavam um mandado de busca e prisão, mas o jovem não estava no local. Bensaci foi preso pouco depois, na cidade de Victoria, Canadá.

Com ele, foram encontrados smartphones, equipamentos de informática e cartões SIM de operadora. O suspeito foi descrito por vizinhos como um jovem discreto que passa muito tempo no computador.

Apesar da prisão, o rapaz pagou fiança de US$ 200 mil e foi liberado. Ele recebeu ordem de morar com seus pais em Montreal, onde deve aguardar até sua próxima audiência no tribunal. O passaporte de Bensaci foi apreendido.

Na residência de seus pais, o suspeito está proibido de utilizar "qualquer dispositivo capaz de acessar a internet". Ele também está proibido de possuir ou trocar qualquer tipo de criptomoeda.

Com informações de: La Presse, Infosecurity.

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail