Oi! Escolha uma opção para entrar

Nunca postaremos nas suas redes sociais

Se preferir, entre com seu e-mail

Esqueceu sua senha?
Não tem conta? cadastre-se grátis

Preencha o formulário abaixo para finalizar seu cadastro:


Gastos mundiais com TI devem chegar a US$ 3,8 trilhões em 2019

Por Redação

em Cenário

2 meses atrás

Segundo projeções do Gartner, mercado deverá saltar 3,2% em comparação com 2018. Serviços terão o maior crescimento do setor

Os gastos mundiais com TI devem chegar US$ 3,8 trilhões em 2019, crescimento de 3,2% em comparação aos gastos esperados de US$ 3,7 trilhões em 2018, de acordo com a última previsão do Gartner.

“Embora a volatilidade da moeda e o potencial para as guerras comerciais ainda façam parte das perspectivas de gastos com TI, é a mudança de propriedade para serviço que saltando todos os segmentos da previsão. O que isso sinaliza, por exemplo, é o uso mais empresarial de serviços em nuvem – em vez de comprar seus servidores, eles estão se voltando para a nuvem. À medida que as empresas continuam seus esforços de transformação digital, a mudança para ‘pagar pelo uso’ continuará. Isso leva as empresas a lidar com a mudança rápida e sustentada que ressalta os negócios digitais”, explica John-David Lovelock, vice-presidente de pesquisa do Gartner.

Os gastos com software corporativo devem apresentar o maior crescimento, com aumento de 8,3% em 2019. O software como serviço (SaaS) está impulsionando o crescimento em quase todos os segmentos de software, particularmente no gerenciamento de relacionamento com o cliente (CRM), devido ao maior foco em proporcionar melhores experiências aos clientes.

O software na nuvem crescerá mais de 22% este ano, comparado com 6% de crescimento para todas as outras formas de software. Embora aplicativos essenciais como ERP, CRM e cadeia de suprimentos continuem a obter a maior parte dos dólares, segurança e privacidade são de particular interesse agora. A maior parte (88%) dos CIOs globais pesquisados ​​recentemente implantou ou planejou implantar software de segurança cibernética e outras tecnologias nos próximos 12 meses.

Em 2018, espera-se que os sistemas de data center cresçam 6%, impulsionados por um forte mercado de servidores que registrou crescimento de gastos de mais de 10% no ano passado e em 2018, com salto de 5,7%. No entanto, até 2019, os servidores retornarão a um mercado em declínio e cairão 1% a 3% todos os anos pelos próximos cinco anos. O resultado terá impacto sobre os gastos gerais dos sistemas de data center, já que a expansão desacelera para 1,6% em 2019.

Serviços em TI

Os serviços serão os principais impulsionadores dos gastos com TI em 2019, com previsão de chegar a US$ 1 trilhão em 2019, aumento de 4,7% em relação a 2018. Uma esperada desaceleração global na prosperidade econômica, acompanhada de pressões internas para cortar gastos, está impulsionando organizações para otimizar o gasto externo da empresa para serviços comerciais, como consultoria. Em um recente estudo, 46% das organizações indicaram que os serviços de TI e a consolidação de fornecedores estavam em suas três principais abordagens de otimização de custos mais eficazes.

Dispositivos

Os gastos mundiais para dispositivos – PCs, tablets e celulares – devem crescer 2,4% em 2019, atingindo US$ 706 bilhões, acima dos US$ 689 bilhões em 2018. A demanda por PCs no setor corporativo tem sido forte, impulsionada pelas atualizações de hardware do Windows 10. Isso deve continuar até 2020. No entanto, o mercado de PCs pode ter algum impacto da escassez da CPU Intel. Embora o problema tenha alguns impactos de curto prazo, o Gartner não espera nenhum impacto duradouro sobre a demanda geral de PCs.

A expectativa atual é de que a Intel priorizará o CPU de ponta, assim como as CPUs para PCs empresariais. Enquanto isso, a AMD vai pegar a parte do mercado onde a Intel não pode fornecer CPUs.

“PCs, laptops e tablets atingiram um novo estado de equilíbrio. Atualmente, esses mercados têm demanda estável de consumidores e empresas. Os fornecedores têm apenas diferenciação sutil de tecnologia, o que os está levando a oferecer PCs como Serviço (PCaaS), a fim de prender clientes em fluxos de receita recorrentes e oferecer novas opções de serviços de pacotes”, finaliza Lovelock.

 


Receba grátis as principais notícias do setor de TI

Newsletter por e-mail