Oi! Escolha uma opção para entrar

Nunca postaremos nas suas redes sociais

Se preferir, entre com seu e-mail

Esqueceu sua senha?
Não tem conta? cadastre-se grátis

Preencha o formulário abaixo para finalizar seu cadastro:

Novos comportamentos do consumidor exigem atualização do varejo

Por Gabriel Furlan da Pimenta Comunicação

em Mercado

1 mês atrás

Estudo de empresa do segmento mostra mudança no comportamento do consumidor, demandando gerenciamento de desempenho e de atendimento em suas lojas

As lojas físicas continuam sendo responsáveis pela maior parte do total de vendas do varejo, mercado que deverá movimentar um valor global de US$ 6,4 trilhões em 2019. No entanto, esses estabelecimentos precisam mudar para acompanhar as novas tendências de comportamento do consumidor. A advertência é da ShopperTrak, provedora global de insights sobre o comportamento do consumidor no varejo, com base em um levantamento feito nos Estados Unidos, no qual 73% das pessoas entrevistadas disseram que costumam fazer pesquisas on-line antes de ir a uma loja comprar um produto.

No Brasil, um levantamento feito pela SPC Brasil, em parceria com a CNDL, mostra que 47% dos consumidores com acesso à internet fazem pesquisas on-line antes de comprar em loja física.

O estudo da ShopperTrak revela também que o fluxo de clientes nas lojas físicas norte-americanas caiu 5,8% entre 2010 e 2015, mas a taxa de conversão aumentou 3,8%, nesse mesmo período. No varejo brasileiro, a ShopperTrak observou tendência semelhante: o tráfego de pessoas nas lojas em dezembro de 2017 (época do Natal), por exemplo, caiu 4,8% em relação ao mesmo mês do ano anterior. Apesar disso, a taxa de conversão apresentou um aumento de 5,4%, na comparação entre os mesmos períodos.

“Essa mudança exige que os varejistas repensem o gerenciamento de desempenho e de atendimento em suas lojas, utilizando indicadores mais adequados a esse novo perfil do mercado”, afirma Marcelo Quaiatti, diretor da ShopperTrak no Brasil. “A medição de fluxo de clientes nas lojas e indicadores como taxa de conversão e ticket médio podem ajudar os varejistas a entender melhor o caminho dos clientes até a compra, redesenhar o ambiente de suas lojas, de modo a otimizar espaços e posicionar os produtos de forma mais adequada, além de propiciar análises capazes de facilitar a tomada de decisões de negócio mais eficazes”, completa.

A ShopperTrak possui mais de 150 mil sensores espalhados por mais de 2 mil varejistas, em 90 países no mundo. São cerca de 40 bilhões de clientes monitorados anualmente. O conteúdo analítico gerado pela ShopperTrak permite ao varejista acompanhar tudo que acontece na loja – do tempo que os clientes permanecem em cada seção até quais são os seus setores preferidos. A partir dessas informações, o varejista pode fazer adaptações no marketing, no merchandising, na oferta de produtos e, ainda, otimizar a escala de pessoal.

A empresa possui cerca de 150 mil câmeras instaladas em mais de dois mil varejistas, distribuídos em cem países. Empresas como Apple, Estée Lauder, Gucci, Ralph Lauren e Pandora fazem parte da carteira de clientes da ShopperTrak.


Receba grátis as principais notícias do setor de TI

Newsletter por e-mail