Home > Colunas

Minha empresa migrou para a nuvem. E agora?

O primeiro passo a ser realizado neste momento é o investimento no treinamento dos colaboradores.

*Diego Santos

13/09/2019 às 8h09

Foto: Shutterstock

A migração para a nuvem é uma jornada que exige comprometimento por parte das empresas a fim de que o processo ocorra com segurança e assertividade. No entanto, o que muitos executivos deixam de fora da estratégia de negócio é a fase de pós-migração do cloud computing, na qual se deve prestar atenção em garantir um funcionamento de qualidade da tecnologia. Dessa maneira, o primeiro passo a ser realizado neste momento é o investimento no treinamento dos colaboradores.

Para que a aplicação da nuvem no negócio seja de fato eficaz, é fundamental comunicar a transformação digital para aqueles que fazem parte do dia a dia da corporação. Afinal, por mais que não precisem entender os detalhes técnicos envolvidos nesta iniciativa, é necessário que saibam o que esperar dela e como proceder diante de eventuais adversidades. Outra mensagem a ser transmitida na comunicação com os colaboradores é o fato de que os dados antigos não foram perdidos. Ou seja, o ideal é promover um treinamento para conscientizar a equipe sobre este novo cenário organizacional.

Em seguida, é imprescindível ter em mente que uma ação de cloud computing pede implantações de soluções de segurança capazes de restringirem o acesso de informações sensíveis ao negócio que vão desde resultados financeiros até o planejamento estratégico e o lançamento de novos produtos. Neste contexto, a configuração de um firewall destaca-se porque a medida permite definir as regras necessárias ao controle de acesso de estruturas que venham pontualmente a sofrer tentativas de invasões, já que não existe um sistema 100% seguro. Outra dica relacionada a segurança na nuvem é codificar os dados organizacionais em um sistema apropriado de criptografia.

Ainda sobre migração para a nuvem, vale ressaltar a importância de desenvolver uma rotina de testes. Antes mesmo de os sistemas estarem disponíveis na cloud, deve haver um plano de testes com todos os serviços que terão de ser avaliados quando o processo de transformação digital terminar, sendo um passo necessário para certificar-se de que o planejamento seja seguido corretamente ao checar de maneira frequente a consistência dos dados, estruturas de backup e a performance das aplicações.

Como é possível notar, o caminho de uma pós-migração é cheio de rotas. E, não para por aí. Entre as rotas deste processo, encontra-se o investimento em uma equipe técnica dedicada exclusivamente ao monitoramento da nuvem e a captação de feedback dos usuários do recurso a fim de observar os pontos fortes e dores da tecnologia. Neste caso, a parceria com uma empresa especializada em cloud computing faz toda a diferença no procedimento porque proporciona todo o suporte necessário antes, durante e depois da transformação digital, realizando um acompanhamento constante do projeto.

*Por Diego Santos, gerente executivo de produtos da Locaweb Corp Cluster2GO

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail