Home > Notícias

O que vai sobrar para o ser humano fazer?

Mercado Eletrônico abriu B2B Summit 2019 com palestra sobre inovação e conveniência com Arthur Igreja.

Ana Gabriela De Callis

20/09/2019 às 21h35

Foto: Ana Gabriela De Callis

O Theatro NET recebeu na última quinta-feira (19/9) o ME B2B Summit 2019, evento referência em comércio eletrônico realizado pelo Mercado Eletrônico. O Summit reuniu compradores e vendedores com a missão de fomentar o conhecimento e o networking entre esses dois públicos.

O evento contou com quinze palestrantes, e durante o período da manhã separou os participantes em duas trilhas de conteúdos, uma para compradores e outra para vendedores.

Mas foi a abertura do evento que deixou todo mundo com aquela pulga atrás da orelha. Arthur Igreja, palestrante TEDx no Brasil, EUA, Europa e América do Sul trouxe o conteúdo: “Movimento pendular da inovação: o que será valioso e o que vai sobrar para o ser humano fazer”.

A discussão girou em torno da cultura da conveniência e o medo dos robôs roubarem os trabalhos dos humanos. Igreja foi enfático: “as máquinas vão substituir tarefas que o ser humano estava fazendo no lugar delas”. É isso. As máquinas vão roubar tarefas que os seres humanos não deveriam fazer, e nós vamos focar em com utilizar nossa humanidade para tarefas que máquina nenhum poderá fazer em nosso lugar.

A inovação tem a ver com timing. A Apple tentou lançar um tablet em 1992 e deu muito errado, porque não era hora. “Hoje, empresas acham que colocar puffs, pintar a parede de rosa e decorar o ambiente com escorregador é ser inovador. Inovação é cultural, não é pensar em 2050, mas sim resolver os problemas de 2019” pontuou o palestrante.

A palestra de Poliana Abreu, head de conteúdo e inovação da HSM, focou em falar de confiança e gestão pós-moderna para o público. Poliana trouxe as três rupturas de gestão que mais são vistas nas companhias hoje: gestão autônoma, integralidade e propósito evolutivo.

Ela mostrou que as empresas hoje querem entregar propósito e agilidade. Porém, agilidade não como fazer rápido, mas, sim, diminuindo o atrito. “A agilidade requer colaboração e a colaboração não existe sem confiança.”

Luis Rasquilha, CEO da Inova Consulting, abordou o tema de reframing para o público, focando em fazê-lo entender a importância de ressignificar acontecimentos dentro dos times de trabalho.

No final do dia, os vendedores e compradores receberam táticas e truques de negociação de Alex Leite, diretor educacional da Live University, e ouviram dicas de construção de relacionamentos da nova era digital de Walter Longo, administrador, publicitário e ex-presidente do Grupo Abril.

 

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail