Home > Notícias

Setor público quer investir em análise de dados e cibersegurança

Nuvem deixa de ser prioridade, de acordo com recente relatório do Gartner

Redação

24/01/2019 às 12h04

Foto:

A análise de dados e a segurança cibernética empurraram a nuvem para fora do primeiro lugar na lista de investimento de CIOs do setor público em 2019, de acordo com pesquisa do Gartner. Esse foco crescente nos dados reflete o reconhecimento dos líderes de tecnologia de que inteligência artificial (AI) e analytics serão chave para virar o jogo do governo neste ano.

A pesquisa 2019 CIO Agenda Survey, do Gartner, coletou dados de 3.102 CIOs entrevistados em 89 países e em grandes indústrias, incluindo 528 CIOs do governo para identificar tendências específicas para cada camada. Os respondentes do governo foram segmentados em nacional ou federal; estado ou província (regional); local; e defesa e inteligência.

"Aproveitar os dados está no centro do governo digital - é o ativo central de tudo o que o governo supervisiona e fornece", disse Rick Howard, vice-presidente de análise do Gartner. "A capacidade de alavancar esses dados estrategicamente em tempo real melhorará significativamente a capacidade do governo de fornecer serviços de forma transparente, apesar do aumento da pressão sobre os recursos finitos".

Avança a maturidade digital

Quando se trata de prioridades estratégicas de negócios, a pesquisa constatou que 18% dos CIOs em todos os níveis do governo priorizaram iniciativas digitais novamente neste ano como chave para alcançar os resultados da missão, em comparação com 23% de todos os outros setores. As próximas três prioridades de negócios para o governo são metas específicas do setor (13%), excelência operacional (13%) e otimização / redução de custos (8%).

Os dados da pesquisa indicam que os governos estão fazendo um progresso deliberado no sentido de projetar e fornecer serviços digitais, atingindo uma maturidade comparável a outras indústrias em geral.

Quando perguntados em que estágio sua iniciativa digital estava, 29% dos entrevistados do governo afirmam que suas organizações estão ampliando e refinando iniciativas digitais - o ponto de inflexão em que uma iniciativa digital é considerada madura. Esse número foi de 15% na pesquisa de 2018.

No entanto, o governo ainda está atrasado na ampliação e refino de iniciativas digitais. A lacuna é particularmente marcante em defesa e inteligência, onde apenas 9% dos entrevistados escalaram iniciativas digitais.

“Para atender à crescente demanda e às expectativas em evolução dos cidadãos para serviços eficazes e eficientes, o governo deve continuar a melhorar sua maturidade digital”, disse Howard. “Os CIOs do governo reconhecem claramente o potencial do governo digital e começaram a desenvolver novos serviços digitais, mas agora precisam levá-lo além da visão para a execução por meio da liderança digital.”

Apesar do foco no digital, apenas 17% dos CIOs do governo planejam aumentar seus investimentos em iniciativas de negócios digitais, em comparação com 34% dos CIOs de outras indústrias. Embora os CIOs governamentais demonstrem uma visão clara do potencial do governo digital e de suas tecnologias emergentes, 45% relatam que não possuem os recursos de TI e de negócios necessários para executar.

Divisor de águas

A AI assumiu a liderança como a principal tecnologia revolucionária para os CIOs do governo em 2019. A tecnologia (27%) é seguida por análise de dados (22%) e tecnologias de nuvem (19%). A nuvem caiu em todos os níveis de governo no ano passado, para o terceiro lugar na pesquisa deste ano.

"A AI introduz insights e canais de distribuição que permitirão que os governos aumentem a magnitude não possível anteriormente. Isso permitirá a realocação de recursos humanos valiosos para processos e decisões mais complexos", comenta Howard.

Entre os entrevistados do governo, 10% já implantaram uma solução de AI, 39% pretendem implantar nos próximos um a dois anos e outros 36% pretendem implantar uma solução de AI nos próximos dois a três anos.

Entre todos os níveis de governo, business intelligence (BI) e análise de dados (43%), segurança cibernética / informação (43%) e serviços / soluções em nuvem (39%) são as áreas tecnológicas mais comuns para aumentar o investimento em tecnologia em 2019. A nuvem caiu do primeiro lugar no ano passado para o segundo geral em 2019.

Segundo Howard, o fato de a segurança cibernética continuar sendo uma área projetada para aumentar os gastos reflete o reconhecimento do governo de seu papel como administrador de dados públicos, com as transações seguras agora em jogo para os governos em um mundo digital.

"No mundo digital, os ataques cibernéticos são altamente visíveis, cada vez mais maliciosos e caros, e corroem a confiança do público", disse Howard. “Os CIOs do governo aumentaram constantemente a priorização da segurança cibernética ao longo dos anos e conquistaram o compromisso executivo com a vigilância para garantir que os ataques e ameaças mal-intencionados em constante evolução sejam mitigados o máximo possível.”

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail