Home > Notícias

Não somos reféns de tecnologias e sim de clientes, diz CEO da Cast

Solange Calvo

25/09/2017 às 13h15

Foto:

Calazans CEO da CastSomente em 2017, foram quatro aquisições, que devem somar perto de R$ 120 milhões ao faturamento da Cast, integradora nacional de serviços de tecnologia da informação, garantindo a marca de R$ 500 milhões. A tática do grupo visa ampliar o portfólio de soluções, expandir a atuação no País, reunir o máximo de competências e dar um salto em receita atingindo R$ 1 bilhão até 2021.

Com essa movimentação, hoje, a paulistana Cast é a maior empresa em serviços de aplicações de TI para esse mercado, com mais de 200 clientes, especialmente nas áreas de finanças, indústrias e serviços. É o que garante o CEO do grupo José Calazans. “Obtivemos esse reconhecimento pela consultoria IDC e esse resultado é consequência do nosso crescimento orgânico por meio das aquisições. Assim, vamos nos consolidar como uma empresa de soluções end-to-end. Em 2018, nossa previsão é de adquirirmos mais três”, promete.

Mas não basta somente “comprar”. Aliás, Calazans alerta que nunca usa a palavra “comprar” e sim “investir”. “Não me apresento à empresa que desejo negociar dizendo que minha intenção é comprar. Porque, na verdade, é muito além disso. É, de fato, um investimento, que contará com o desafio da integração de estratégias, pessoas e sonhos”, ensina.

O cuidado é fruto da experiência de mais de 40 anos no mercado de tecnologia da informação, que lapidou a crença de Calazans, de que o maior ativo são as pessoas. “Por isso, não vamos ao mercado com proposta de aquisição a companhias que estão nas prateleiras. Avaliamos quem seria importante para edificar nossa estratégia e, de fato, somar para que possamos atingir nossos objetivos”, revela o CEO.

Afinal, reforça Alberto Freitas, diretor de M&A do grupo Cast: “A casa que ele fez para morar, não é a mesma que ele fez para vender”. O executivo acrescenta que um outro procedimento de zelo, antes da realização da proposta é avaliar cultura e valores. “Isso porque adquirir é muito mais fácil do que integrar.”

“Muitas vezes surpreendemos os CEOs porque não estavam esperando ou mesmo pensando nesse tipo de abordagem. Assim, começam a avaliar a possibilidade de união de forças. Afinal, a consolidação desse mercado é inevitável e queremos ser uma das cinco integradoras que irão liderar esse mercado”, prevê.

Calazans diz que há muitos anos aprendeu que quem manda é o cliente e não a tecnologia. “Jamais serei dependente de fornecedor. Minha missão é entender as dores do negócio e junto com o cliente escolher a melhor opção”, diz e destaca: “Por isso, não somos reféns de tecnologias e sim de clientes”.

A estratégia afiada da Cast

Agora, com mais de 2,5 mil colaboradores, e unidades em dez diferentes cidades do Brasil, a Cast atua em todo solo nacional e ainda conta com uma filial em Delaware, nos Estados Unidos. “Adicionamos ao nosso crescimento orgânico de 20% em 2017 mais 30% por meio de aquisições”, ressalta Freitas.

Figuram nas aquisições deste ano quatro empresas, entre elas, a HRDevelopers (HDR), que traz na bagagem a solução de eSocial, para atender às exigências do novo programa do governo que entra em vigor em janeiro de 2018. A HRD é especializada em soluções SAP e tem foco em desenvolvimento de soluções e metodologias HCM (Human Capital Management) para grandes empresas.

Outra é a curitibana Pelissari Gestão e Tecnologia, uma das maiores integradoras SAP da região e especializada em serviços de consultoria em gestão empresarial, com faturamento anual de R$ 80 milhões.
“A Pelissari atua como integradora de sistemas com foco na indústria 4.0, e na criação de uma Comunidade de Serviços Compartilhados que inclui serviços fiscais, otimização de processos e compartilhamento de recursos entre clientes em grandes (CSC) Centros de Serviços Compartilhados do Brasil”, diz Calazans.

Além da Logix, a Cast também adquiriu a Avannt, sediada em Ribeirão Preto (SP), e parceira certificada em licenciamento, serviços e suporte da SAP, com forte atuação em todo o interior de São Paulo e nos estados do Centro-Oeste do Brasil. É a quarta aquisição anunciada pelo grupo.

De acordo com Calazans, além de completar o ciclo de aquisições da Cast em 2017, a Avannt representa um importante reforço na estratégia do grupo de se posicionar como um dos maiores parceiros SAP do Brasil. “Já temos 150 clientes no mundo SAP”, finaliza Calazans, para quem crescer o lucro é muito mais importante que crescer em receita. “Portanto, abrir capital, não é uma meta para futuro breve, será apenas uma consequência. Queremos fazer a diferença neste País.”

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail