Oi! Escolha uma opção para entrar

Nunca postaremos nas suas redes sociais

Se preferir, entre com seu e-mail

Esqueceu sua senha?
Não tem conta? cadastre-se grátis

Preencha o formulário abaixo para finalizar seu cadastro:

30% das startups fecham as portas por falta de acesso às ferramentas

Por Amanda Reinert da Dialetto

em Startups

2 semanas atrás

Estudo do Sebrae identificou que os principais motivos para o encerramento de atividades das nascentes em tecnologia são falta de acesso a capital, obstáculos no mercado e gestão

Não é novidade que ser dono do seu próprio negócio é um desafio. De acordo com dados de uma pesquisa realizada pelo SEBRAE em parceria com o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, três em cada dez empresas nascentes em tecnologia fecham as portas. A burocracia é sempre citada como uma das principais causas para os empreendedores desistirem de seus negócios, mas esse estudo também mostrou que no setor de tecnologia as principais dificuldades são acesso a capital (40%), obstáculos para entrar no mercado (21%) e divergência entre os sócios (12%).

Os dois pontos com mais reclamações dos empreendedores, são também as áreas que as aceleradoras buscam trabalhar para incentivar o desenvolvimento das empresas nascentes. Com mentorias especializadas e acesso a um capital inicial, as startups saem dessas instituições mais preparadas e com menos chances de fechar. A pesquisa comprova a afirmação: o índice de empresas nascentes que não foram para frente após aceleradas é de 15%, a metade do que as que não passaram por nenhum programa de apoio.

Marcos Mueller, CEO da aceleradora Darwin Starter, explica que os negócios que contam com apoio no início da jornada vão para o mercado com uma vantagem competitiva: conexões. “Dentro do Darwin, aproximamos startups de empresas já consolidadas. Portanto, além dos contatos com uma rede empreendedora, mentores e consultores, os empreendedores também se aproximam de quem conhece o seu nicho de atuação e pode falar com propriedade o caminho mais indicado para seguir”, exemplifica.

Os programas de aceleração ainda oferecem aportes para as aceleradas, tornando-as mais escaláveis. “Além do dinheiro em espécie, no Darwin oferecemos mais de R$ 500 mil em benefícios. A economia é tão importante quanto a injeção de recursos para o desenvolvimento de uma startup”, completa Mueller.

Alinhamento para unir

O terceiro item que mais causa fechamento de empresas nascentes é a divergência entre os sócios. George Eich, empreendedor serial e sócio fundador da CoBlue – primeira empresa a desenvolver um software de OKR no Brasil -, afirma que o alinhamento de ações e expectativas é a chave para convergir os sócios em um mesmo objetivo.

“O método OKR é usado por grandes empresas de tecnologia como Google, Spotify e Twitter. Ele funciona porque é baseado na delimitação de objetivos e resultados-chave construídos de forma coletiva. Assim, tanto na hora de tomar decisões quanto em momentos operacionais, os sócios estão alinhados”, explica Eich. Outro benefício da metodologia é que ela é baseada em gestão ágil, ou seja, ciclos curtos. Mesmo que haja divergências dentro das startups, rapidamente é possível identificar o que dá certo ou não – agilizando o processo de mudança de estratégia e embasando decisões.

George defende que: “com acesso às ferramentas certas e com o apoio necessário para enfrentar as pedras no caminho, as portas das nascentes em tecnologia estarão sempre abertas”.


Receba grátis as principais notícias do setor de TI

Newsletter por e-mail