Oi! Escolha uma opção para entrar

Nunca postaremos nas suas redes sociais

Se preferir, entre com seu e-mail

Esqueceu sua senha?
Não tem conta? cadastre-se grátis

Preencha o formulário abaixo para finalizar seu cadastro:


Afromentoring prepara e auxilia mulheres negras empreendedoras

Por Redação

em Startups

2 meses atrás

Programa oferecerá mentoria às mulheres negras em diversas áreas: Gestão e Finanças, Marketing, RH, Jurídico, Vendas, Tecnologia e Precificação

Segundo o Instituto Locomotiva, os empreendedores negros movimentam cerca de R$ 219,3 bilhões no País. Buscando ultrapassar as barreiras sociais, econômicas e estruturais que impedem a mulher negra de crescer nesse contexto, a Rede Brasil Afroempreendedor (Reafro) e o grupo Mulheres do Brasil uniram-se para dar vida ao projeto Afromentoring. O objetivo é potencializar não apenas a força da mulher negra como empreendedora, mas auxiliar a desenvolver a base da pirâmide de negócios a partir de um processo de mentoria focado no crescimento pessoal e profissional.

O programa oferecerá mentoria às mulheres negras em diversas áreas: Gestão e Finanças, Marketing, RH, Jurídico, Vendas, Tecnologia e Precificação. A metodologia contará com encontros presenciais entre as mentoras e as mentoradas, sessões de desenvolvimento pessoal e de negócios e ainda a Black Night, noite dedicada a pitch de negócios e celebração.

Durante a mentoria cerca de 26 afronegócios serão diretamente impactados. A ideia é de que essa seja uma ferramenta para que as empresárias conheçam melhor os desafios das suas empresas, buscando ajudar a alcançar objetivos, solucionar problemas e aprimorar negócios.

Os dados econômicos comprovam a importância de se investir na preparação das mulheres negras para que se tornem pessoas de maior sucesso e serem lideranças empresariais no país. A pesquisa “Os Donos de Negócios no Brasil: Análise por Raça/Cor (2003/2013), desenvolvida em 2015 pelo Sebrae, identificou que entre 2003 e 2013 o perfil de donos de negócios no país era de maioria declarada negra ou parda, sendo quase 12 milhões de pessoas. Contudo, apenas 31% do total de donos de negócios eram do gênero feminino.

Além de quebrar as barreiras do preconceito e do racismo, o programa quer estimular que as empreendedoras sigam buscando soluções e crescendo nos seus negócios. Elas serão acompanhadas por mentoras que possuem experiências em suas áreas e estão dispostas a contribuírem como facilitadoras do crescimento das mentoradas no mercado. 

Segundo Mariana Ferreira dos Santos, criadora e cocoordenadora do Projeto, a importância do movimento precisa ser reforçada. “Ele movimenta a base da pirâmide socioeconômica brasileira através da aceleração de negócios de mulheres negras tendo como resultado uma maior equidade social no Brasil”, destaca ela.


Receba grátis as principais notícias do setor de TI

Newsletter por e-mail