Oi! Escolha uma opção para entrar

Nunca postaremos nas suas redes sociais

Se preferir, entre com seu e-mail

Esqueceu sua senha?
Não tem conta? cadastre-se grátis

Preencha o formulário abaixo para finalizar seu cadastro:


NtechLab, startup russa, fica entre as melhores em detecção de pedestres em competição da Amazon

Por Renata Bosco da Allameda.com

em Startups

2 semanas atrás

Detecção de pedestres é um dos grandes desafios das principais empresas do mundo interessadas em projetar veículos autônomos

A grande surpresa do desafio global WIDER 2018, concurso de reconhecimento artificial de silhuetas humanas e pedestres em ambientes urbanos, organizado pelas gigantes de tecnologia Amazon e SenseTime, ficou com a NtechLab, uma startup russa criada há três anos em Moscou.

A empresa de biometria facial está entre os três primeiros colocados, ao lado da Academia Chinesa de Ciências e da rede de varejo online JD.com. Os vencedores apresentaram suas soluções na Conferência Europeia de Visão Computacional realizada em Munique, na Alemanha.

No total, 35 organizações de vários países participaram da competição. A prova, que já não seria fácil para um humano médio, foi de alto grau de dificuldade para os softwares de identificação facial. Nela, os competidores usaram suas soluções tecnológicas para identificar pedestres e ciclistas em vídeos, os distinguindo de outras imagens de tráfego e objetos estáticos.

Os vídeos foram fornecidos por câmeras CFTV de uma grande cidade chinesa e por um dispositivo instalado em um carro em movimento. A NtechLab ficou entre as três melhores soluções do mundo, ultrapassando outros 32 competidores.

Tecnologia para veículos autônomos

A detecção de pedestres é um dos grandes desafios das principais empresas do mundo interessadas em projetar veículos autônomos, como Uber, Google e Intel, além das tradicionais fabricantes de automóveis, que vêm trabalhando em projetos para atender a essa nova tendência do mercado.

A NtechLab realizou os primeiros testes da nova tecnologia utilizando-a para contar com precisão pessoas em multidões extremamente densas. O sistema da startup permitirá avanços significativos nas esferas pública e comercial. Serviços de utilidade pública poderão, por exemplo, controlar fluxos de pessoas que utilizam transporte público ou individual e em grandes eventos de massa, evitando possíveis gargalos. Já no âmbito corporativo, organizações poderão obter valiosas informações sobre o volume de visitantes em seus estabelecimentos comerciais, otimizando assim seus processos de negócios.

“Estamos para além de felizes com o resultado, em especial por termos competido com as principais empresas chinesas – que alocam bilhões em pesquisa e desenvolvimento”, diz Artem Kukharenko, fundador da NtechLab. “O concurso também nos deu confirmação de algo que até já sabíamos, mas que é sempre bom ver sancionado externamente: nossa tecnologia é realmente especial e dá aos clientes oportunidades ímpares de inovar e expandir negócios.”

Segundo o executivo, o algoritmo da NtechLab foi preparado em ambiente não controlado, nos cenários em que foi colocado em prática com sucesso na Rússia, incluindo medição de volume de tráfego de passageiros em instalações de transporte, contagem de visitantes em eventos esportivos e de entretenimento, lojas, restaurantes e cassinos.

Software vai predizer rotas

A startup de Moscou planeja lançar uma solução exclusiva que combinará as tecnologias de detecção de silhueta de pessoas e de reconhecimento facial. O sistema NtechLab será capaz de levar a precisão de identificação para 100%, independente do ângulo de visão da câmera, reconhecendo até pessoas que venham a cobrir completamente seus rostos ou virarem as costas para a câmera. A tecnologia também permitirá acompanhar os movimentos de indivíduos e objetos, determinando suas rotas.

Em 2015, o algoritmo da NtechLab ganhou o MegaFace Challenge, organizado pela Universidade de Washington, deixando para trás mais de 100 equipes, entre as quais a do Google. No ano passado a NtechLab ganhou a competição da Atividade de Projetos de Pesquisa Avançada de Inteligência (IARPA) nas categorias “Precisão de Verificação” e “Velocidade de Identificação”, e faturou ainda, com seu algoritmo de detecção de emoções, o EmotionNet Challenge, da Ohio University.


Receba grátis as principais notícias do setor de TI

Newsletter por e-mail