Oi! Escolha uma opção para entrar

Nunca postaremos nas suas redes sociais

Se preferir, entre com seu e-mail

Esqueceu sua senha?
Não tem conta? cadastre-se grátis

Preencha o formulário abaixo para finalizar seu cadastro:


HPE fornece supercomputação para astronautas avançarem na exploração espacial

Por Redação

em Tech

1 mês atrás

Spaceborne Computer contará com computação de alto desempenho (HPC) para melhorar pesquisas com análise de dados para exploradores a bordo da Estação Espacial Internacional

A Hewlett Packard Enterprise (HPE) anunciou o início da operação de uma solução de computação de alto desempenho – HPC – para astronautas a bordo da Estação Espacial Internacional (International Space Station – ISS), como parte do mais recente experimento do projeto Spaceborne Computer.

O Spaceborne Computer foi o primeiro supercomputador que a HPE e a NASA lançaram ao espaço para um experimento de um ano para testar resiliência e desempenho. Após completar a missão, a tecnologia, que alcançou 1 teraFLOP (1 trilhão de operações de ponto flutuante por segundo) e operou com sucesso na Estação Espacial Internacional – provando que pode suportar condições adversas do espaço como gravidade zero, falhas de energia não programadas e níveis imprevisíveis de radiação – irá agora, pela primeira vez na história, disponibilizar capacidades de supercomputação para uso a bordo da ISS.

Esses serviços “acima da nuvem” permitirão que exploradores e pesquisadores espaciais executem análises diretamente no espaço, em vez de trocar dados com a Terra para obter insights.

Conexão terra e espaço

Em virtude das capacidades limitadas da computação no espaço, muitos dos cálculos necessários para completar projetos de pesquisa ainda são processados na Terra. Essa abordagem é viável em estudos atualmente em andamento na Lua ou em órbitas terrestres de baixa altitude (low earth orbits – LEO), localizadas entre 640 km e 1600 km acima da superfície do planeta, onde a comunicação pode ser próxima ao tempo real na Terra.

Contudo, latências de comunicação mais longas, de até 20 minutos – a partir da Terra e para a Terra – podem ocorrer quando dados são capturados mais longe no espaço e mais perto de Marte. Esta realidade torna qualquer experiência espacial em solo desafiadora e potencialmente perigosa se os astronautas forem confrontados com situações críticas que não sejam capazes de resolver sozinhos.

A HPE está facilitando a resolução desses desafios por meio da entrega de capacidades de computação de alta performance a exploradores do espaço com o Spaceborne Computer, dando-lhes autonomia para serem autossucientes da seguintes maneiras:

Acelerando o tempo de resposta para a exploração espacial

Permitir altos níveis de performance computacional na ISS elimina a latência experimentada na transmissão de dados entre estações espaciais e a Terra, além de possibilitar análises a bordo, ao invés de fazer com que a equipe dependa dos times de pesquisa posicionados em bases terrestres.

Experimentos da Estação Espacial Internacional capturam um alto volume de dados, incluindo imagens e vídeos; por outro lado, na maioria dos casos, os pesquisadores precisam ter acesso a apenas partes específicas desse conteúdo. Permitindo a análise e processamento de dados a bordo da estação evita latência e gera muito mais eficiência e velocidade.

Novas fronteiras no espaço

A rede de banda larga no espaço atualmente é criticamente consumida pela transmissão de grandes conjuntos de dados entre as estações espaciais e operações terrestres. Com capacidades de computação de alta performance no espaço o Spaceborne Computer permite que os exploradores da ISS “guardem” a banda larga para comunicações de emergência.

O Spaceborne Computer também vai testar os limites da comunicação espacial para resolver falhas de latência conforme as viagens para Marte – e além – forem se tornando realidade. Comunicações confiáveis se tornam ainda mais essenciais em eventos de missão crítica.

Vez a AI

Com a tecnologia focada no alcance de novas fronteiras espaciais, a HPE e a NASA pretendem promover e incrementar a independência de exploradores espaciais oferecendo uma visão aprimorada que permitirá que aplicações de inteligência artificial e machine learning viabilizem novas descobertas. Ampliar a geração de insights e a velocidade da comunicação vai acelerar as descobertas científicas não somente no espaço, mas também para o entendimento da Terra e seus ambientes ao redor.

O Spaceborne Computer é baseado na HPE Apollo 40, uma plataforma construída especialmente para computação de alta performance. O Sistema foi desenvolvido para permanecer intacto no espaço, sem requerer hardware adicional. Em vez disso, ele usa uma abordagem de proteção de software que é integrada aos nodes HPC, provando que podemos levar sistemas similares, compactos e acessíveis, para o espaço no futuro.

Para saber mais sobre os marcos significativos do Spaceborne Computer desde seu primeiro lançamento no espaço, em agosto de 2017, acesse sua linha do tempo.


Receba grátis as principais notícias do setor de TI

Newsletter por e-mail