Oi! Escolha uma opção para entrar

Nunca postaremos nas suas redes sociais

Se preferir, entre com seu e-mail

Esqueceu sua senha?
Não tem conta? cadastre-se grátis

Preencha o formulário abaixo para finalizar seu cadastro:


Mercado de manufatura será transformado por automação

Por Redação

em Inteligência artificial

2 semanas atrás

Inteligência artificial será um marco para o setor, segundo estimativas da Frost & Sullivan

O mundo da manufatura nunca foi tão dinâmico quanto é hoje. Automação alimentada por inteligência artificial (AI), Edge Computing (Edge) e realidade aumentada (AR) está conduzindo um novo capítulo na revolução industrial. A jornada e a progressão de máquinas industriais a partir de motores a vapor para controlar dispositivos e robôs são excitantes e, ao mesmo tempo, um pouco preocupantes.

Hoje, não se trata apenas de automação operacional. Em vez disso, trata-se mais de como recursos como a inteligência e a capacidade preditiva podem moldar o futuro da automação industrial. Como a automação de hoje está gradualmente se tornando incapaz de atender aos requisitos futuros, existe uma necessidade extrema de reimaginar as soluções de automação.

“A inovação se desenrolou, mas os projetos fundamentais não testemunharam uma grande reformulação. No entanto, a automação do passado está lentamente se tornando insustentável para a realização de necessidades futuras. Isso requer reinjetar a automação em todas as facetas, a partir do projeto, engenharia, implantação e operação. Vislumbrar o futuro das fábricas deve primeiro começar com uma visão para o futuro da automação, uma abordagem que tem sido relativamente menos explorada na indústria hoje”, afirma Karthik Sundaram, gerente de programa industrial da IoT na Frost & Sullivan.

Em particular, as três tendências de AI, Edge e AR foram identificadas como fatores que podem influenciar fortemente a automação das seguintes maneiras:

  1. A inteligência artificial tem o potencial de transformar modelos de engenharia centrados no ser humano em sistemas automatizados, facilitando o aprendizado operacional contínuo e resultando em ganhos de produtividade que podem exceder as abordagens existentes conduzidas pelo homem.
  2. A computação de ponta pode ajudar a expandir as funcionalidades do PLC com poder computacional adicional e necessidades operacionais personalizadas, sem grandes alterações na arquitetura de produção.
  3. A realidade aumentada será a IHM do futuro, capacitando operadores com alta transparência e insights superiores em controladores, máquinas e processos de produção.

Receba grátis as principais notícias do setor de TI

Newsletter por e-mail