Oi! Escolha uma opção para entrar

Nunca postaremos nas suas redes sociais

Se preferir, entre com seu e-mail

Esqueceu sua senha?
Não tem conta? cadastre-se grátis

Preencha o formulário abaixo para finalizar seu cadastro:


PTC explora uso da realidade aumentada em pacientes com autismo

Por Eliane Carvalho da Carvalho Comunicação

em Tech

5 meses atrás

Parceria com o Boston Children's Hospital mostra promessa da RA na intervenção precoce

A PTC anuncia sua colaboração com o Boston Children’s Hospital, o hospital pediátrico número um dos Estados Unidos, para explorar o uso da realidade aumentada (AR) e ajudar crianças com autismo e distúrbios relacionados à comunicação e aprendizado.

De acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC – EUA), a última estimativa é que 1 em 88 crianças têm algum tipo de transtorno do espectro do autismo (ASD) – um aumento de 78% em comparação a uma década atrás.

O Dr. Howard Shane, Diretor do Centro de Aperfeiçoamento da Comunicação do Hospital Infantil de Boston e Professor Associado de Otologia e Laringologia da Harvard Medical School, está na vanguarda do uso da tecnologia e suportes visuais para melhorar a comunicação e a aprendizagem de crianças no espectro do autismo . As crianças com autismo, muitas vezes, têm dificuldade em compreender a linguagem escrita ou falada, mas estão extremamente interessadas em mídia de tela eletrônica. Espera-se que a realidade aumentada possa ser usada para ajudar as crianças com autismo a compreender as tarefas e o mundo de forma mais completa, ajudando a unir os mundos físico e digital, sobrepondo uma imagem a um ambiente físico. Assim, a natureza visual da realidade aumentada torna-se uma tecnologia promissora e inovadora para auxiliar no tratamento do autismo.

“A interseção entre saúde e tecnologia está apenas começando, e estamos empolgados com o fato da PTC, empresa global em tecnologia IoT e RA, estar trabalhando conosco para explorar diferentes casos de uso. A realidade aumentada aborda dois dos maiores desafios que uma criança com autismo enfrenta: comunicação e atenção ”, disse o Dr. Howard Shane.

“Com a RA, uma criança com autismo pode ‘ver’ uma xícara se tornar uma espaçonave e se envolver em brincadeiras falsas, ou ‘ver’ os passos para escovar os dentes no contexto de seu próprio ambiente físico. Tarefas simples que são desafiadoras para quem tem ASD podem ser mostradas e comunicadas com a RA de uma maneira que seja mais significativa para elas ”.

Uma equipe de funcionários da PTC ofereceu inúmeras horas para pesquisar e entender o autismo e os requisitos para uma solução eficaz de RA. Uma vez que a equipe entendeu como desenvolver melhor os aplicativos para uma criança autista, eles rapidamente atingiram um marco no projeto, concluindo uma solução de protótipo. Na próxima fase, um aplicativo criado para crianças com autismo entre três a cinco anos será clinicamente testado e avaliado para melhoria contínua.

“O interesse imediato da PTC em oferecer e participar deste projeto mostra o impacto de longo alcance para o autismo e a necessidade de aprender e fazer mais”, disse Don Busiek, vice-presidente sênior de estratégia corporativa da PTC. “Tradicionalmente, a PTC trabalha com fabricantes e empresas industriais, mas nós vimos uma oportunidade única para a tecnologia RA fazer uma diferença real e melhorar vidas. Este projeto apenas arranha a superfície dos usos potenciais para RA, e estamos entusiasmados em apoiar o Hospital Infantil de Boston em seu esforço para alavancar a tecnologia para transformar o tratamento de transtornos do espectro do autismo. ”

 


Receba grátis as principais notícias do setor de TI

Newsletter por e-mail