Oi! Escolha uma opção para entrar

Nunca postaremos nas suas redes sociais

Se preferir, entre com seu e-mail

Esqueceu sua senha?
Não tem conta? cadastre-se grátis

Preencha o formulário abaixo para finalizar seu cadastro:


Startup brasileira cria projeto de educação financeira baseada em games

Por Ivan Netto da EduCash

em Tech

10 meses atrás

EduCash inclui workshops e treinamento de educadores em sua implementação

Criado em 2015 pela Educar 3.0, consultoria brasileira especializada em educação digital, o EduCash é um projeto inovador que, a preços acessíveis, integra games e treinamento de docentes para criar consciência financeira em jovens e crianças. O propósito da consultoria é atuar como uma referência em educação transdisciplinar e inspirar o modelo de ensino-aprendizagem de alto desempenho através de soluções de impacto social.

“O EduCash aponta na direção do que se espera da escola do século 21, no qual há mais espaços para atividades criativas e a transmissão de conhecimento é uma via de mão dupla, em que o professor não é mero reprodutor de aulas, mas até mesmo um ‘aprendente’, a partir do estilo e ritmo dos estudantes com sua própria expressão na apropriação de resultados. Isso claramente gera um empoderamento virtuoso que irá transpor a sala de aula”, destaca Flávio Ramos, Diretor de Operações e Mercado do EduCash, que explica:

“Pensamos a educação para o novo milênio que exige a ampliação do que se entende por aprendizagem e as competências socioemocionais, como uma oportunidade para alavancar a consciência do ser. Pesquisas realizadas em diversas áreas de conhecimento como Educação, Psicologia, Neurociência e Economia mostram que o desempenho cognitivo do aluno é beneficiado quando estas competências são acionadas e desenvolvidas\”.

Com o EduCash, a proposta é formar uma geração mais consciente com relação a finanças pessoais, que entenda as causas e consequências de suas escolhas financeiras – incluindo as facetas sociorrelacionais -, reduzindo assim os índices de inadimplência e aumentando a autonomia do cidadão com relação ao uso consciente de recursos.

O projeto proporciona uma experiência em que as crianças são capazes de protagonizar a construção do seu próprio conhecimento em atividades de reflexão, investigação e resolução de problemas reais por meio de um jogo divertido.

“Educação é um processo de aprendizagem que nos acompanha em todas as etapas da vida. A ideia é experimentar e testar diversos ambientes educacionais receptivos ao EduCash, formatando experiências em sala de aula e processos conclusivos da validação de metodologia, com indicadores de sucesso. Em paralelo, damos início à construção da plataforma que gera relatórios de desempenho no jogo, ainda em fase de desenvolvimento de protótipo\”, afirma Ramos.

A implementação começa com um workshop promovido pelos profissionais formadores do Projeto EduCash para sensibilizar pais, coordenadores e educadores sobre o tema educação financeira para crianças. Depois disso, é realizada a preparação técnica dos educadores que aplicarão o projeto e, em seguida, dá-se início ao plano de aulas.

O módulo “Edu no Planeta das Galinhas”, lançado em 2017, cujos temas trabalhados no plano de aulas são Geração de Renda e Orçamento, foi adotado neste ano pela Secretaria Estadual de Educação de São Paulo por meio da integração da solução à Plataforma EVESP (Escola Virtual de Programas Educacionais). Uma das escolas que aplicaram aulas-piloto do projeto, a Escola Estadual Maria Ribeiro Guimarães Bueno, localizada na cidade de São Paulo, percebeu que além do engajamento e desenvolvimento de aspectos sociorrelacionais e da psicologia econômica, os estudantes que participaram da iniciativa demonstraram melhora em 60% no desempenho em matemática.

Para conduzir tais atividades, os professores contam com planos de aula e propostas de avaliação. O jogo permite que a criança tenha vontade de superar a si própria e faz com que ela descubra as condutas superiores, tais como a autonomia, o cumprimento de regras, a responsabilidade pelo risco, a disciplina, entre outras, que são necessários quando se atinge a idade madura. “E o digital faz parte da vida desta nova geração que interage desde cedo com o espaço virtual e com o real de forma simultânea. Assim, os games tornam-se ferramentas que podem potencializar a aprendizagem, promovem o envolvimento, despertam a motivação, garantindo um aprendizado significativo e eficiente”, enfatiza Ramos.

A Educar 3.0 já firmou parcerias com a finlandesa TeacherGaming, presente em 15 mil escolas em todo o mundo, com a SmartLab, plataforma brasileira de conteúdos educacionais e com a Playmove, outra startup brasileira voltada para projetos educativos digitais.

O projeto, que recebeu R$ 350 mil de aporte em 2015, já está presente em mais de 60 escolas brasileiras e pretende chegar à marca de 150 escolas ainda em 2018.


Receba grátis as principais notícias do setor de TI

Newsletter por e-mail