Oi! Escolha uma opção para entrar

Nunca postaremos nas suas redes sociais

Se preferir, entre com seu e-mail

Esqueceu sua senha?
Não tem conta? cadastre-se grátis

Preencha o formulário abaixo para finalizar seu cadastro:


Startup pode ensinar carro a dirigir sozinho em 20 minutos

Por Redação

em Carros autônomos

4 meses atrás

Wayve cria os primeiros veículos autônomos do mundo baseados inteiramente no aprendizado por reforço

Pesquisadores da Wayve, empresa fundada por uma equipe do departamento de engenharia da Universidade de Cambridge, nos Estados Unidos, desenvolveram uma rede neural sofisticada o suficiente para aprender a dirigir um carro em 15 a 20 minutos usando apenas um computador e uma única câmera.

A empresa mostrou seus robustos métodos de aprendizagem profunda na semana passada em um post em seu blog, mostrando a abordagem para o desenvolvimento de automóveis sem motoristas. Enquanto companhias como Waymo e Uber confiam em uma variedade de sensores e hardware personalizados, a Wayve está criando os primeiros veículos autônomos do mundo baseados inteiramente no aprendizado por reforço.

O sistema de direção autônomo da Wayve, composto por inteligência artificial (AI, na sigla em inglês), é notável por sua simplicidade. É uma rede neural convolucional de quatro camadas, que realiza todo o processamento em uma GPU dentro do carro. Ele não exige conectividade na nuvem nem usa mapas pré-carregados.

Naturalmente, há muito trabalho a ser feito antes que a AI da Wayve possa dirigir qualquer carro em qualquer circunstância. Mas a ideia de que os carros sem motoristas precisarão de dezenas de milhares de dólares em hardware começa a cair por terra diante das técnicas de aprendizagem profunda da empresa. Acompanhe mais sobre o sistema no vídeo abaixo.

Segundo a empresa, seus algoritmos estão se tornando cada vez mais inteligentes. “Imagine a implantação de uma frota de carros autônomos, com um algoritmo de direção que inicialmente é 95% da qualidade de um motorista humano. Tal sistema não seria instável como o modelo inicializado aleatoriamente em nosso vídeo de demonstração, mas seria quase capaz de lidar com semáforos, rotatórias, interseções etc”, relata a empresa.

“Depois de um dia inteiro de condução e melhoria on-line da segurança humana, talvez o sistema melhore para 96%. Depois de uma semana, 98%. Depois de um mês, 99%. Depois de alguns meses, o sistema pode ser um super-humano, tendo se beneficiado do feedback de muitos drivers de segurança diferentes”, revelou a companhia.


Receba grátis as principais notícias do setor de TI

Newsletter por e-mail