Oi! Escolha uma opção para entrar

Nunca postaremos nas suas redes sociais

Se preferir, entre com seu e-mail

Esqueceu sua senha?
Não tem conta? cadastre-se grátis

Preencha o formulário abaixo para finalizar seu cadastro:


Tecnologia 4G já está em licitação

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) já deu início ao leilão de faixas de frequência para a oferta da tecnologia 4G no Brasil. Participarão da oferta de seis grupos: Claro, Tim, Oi, Vivo, Sky e Sunrise Telecomunicações, sendo que a Claro e a Tim se credenciaram com duas empresas cada.

A tecnologia 4G promete internet móvel com velocidade até dez vezes maior que a oferecida atualmente com a tecnologia 3G. Porém existem alguns empecilhos para a oferta decolar por aqui como o preço dos aparelhos.

Em março, a Huawei e a Teleco divulgaram um balanço que mostrava que a faixa de 2,6 GHz adotada pelo Brasil para receber as redes 4G pode retardar a chegada da tecnologia no País. Esse problema ocorre porque essa faixa de frequência, segundo especialistas, exige alto investimento em infraestrutura, pois demanda 65 dispositivos LTE FDD e 41 LTE TDD.

Segundo a Teleco, há cerca de 20 milhões de acessos 4G no mundo, sendo que dois terços estão nos Estados Unidos. No Brasil, existem atualmente 54,3 milhões de acessos 3G (banda larga móvel) ativos, segundo a Associação Brasileira de Telecomunicações (Telebrasil). Desses, 45,7 milhões são celulares e 8,6 milhões são modems.

De acordo com a Agência Brasil, Eduardo Tude, presidente da Teleco, não acredita em uma disputa acirrada no leilão de hoje. Para ele, os preços não devem ficar muito acima do preço mínimo estipulado pela Anatel, já que existe espaço para todas as operadoras no mercado.

Recentemente, o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, admitiu que os preços dos serviços de tecnologia 4G deverão ser mais altos do que os das tecnologias oferecidas atualmente, mas garantiu que não será nada exorbitante.

No leilão para o 4G, o vencedor será aquele que oferecer o maior preço pela outorga de cada um deles. Se todos os lotes ofertados forem vendidos, a expectativa da Anatel é arrecadar pelo menos R$ 3,85 bilhões com a licitação.

O principal objetivo do leilão, segundo a Anatel, é atender à demanda crescente no país por serviços de telecomunicações e oferecer a infraestrutura necessária para a realização de eventos internacionais como a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016. Por isso, as empresas que ganharem o leilão vão ter que disponibilizar o 4G nas cidades-sede da Copa das Confederações até 30 de abril de 2013, e nas sedes e subsedes da Copa do Mundo até 31 de dezembro de 2013.

Saiba mais:

Tecnologia adotada no Brasil retarda chegada do 4G, diz Huawei

Acesso à banda larga móvel dobra em 2011

Anatel abre licitação para tecnologia 4G

HTC apresenta smartphone 4G com Windows Phone

Brasil deverá ter tecnologia 4G já na Copa das Confederações

Viabilizar Acessos comeu uma Copa Depende de R $ 50 bi Anuais

Banda larga brasileira não suporta tráfego da Copa

 


Receba grátis as principais notícias do setor de TI

Newsletter por e-mail