Home > Notícias

TI da Ferrari acompanha montadora na busca por excelência

25/04/2012 às 10h37

Foto:

Na Ferrari tudo parece ser movido à paixão. Qualquer funcionário da montadora ao falar sobre a companhia emana esse sentimento e não importa qual o assunto, se são os mais de 60 anos de história, o faturamento de mais de 2,2 bilhões de euros, as 217 vitórias na Fórmula 1 ou os 7,5 milhões de fãs que a scuderia angariou no Facebook. Você deve estar pensando que quem concedeu a entrevista foi alguém ligado ao marketing. Mas ledo engano. Todos os dados foram passados pelo CIO da empresa, Vittorio Boero.

Um típico senhor italiano, ele passou por diversos fatos históricos da Ferrari para poder explicar porque a migração do sistema de gestão era um momento tão importante. Controlada pela família Ferrari e pelo Grupo Fiat, mudar qualquer coisa internamente não é tarefa simples. Tudo precisa estar dentro de um padrão de excelência ditado pela marca e isso vale para tudo, é assim, por exemplo, a escolha de parceiros para produzir souvenires com a logomarca estampada.

A presença em 59 mercado, seja com venda de carros ou por meio das lojas Ferrari, também adiciona complexidade, já que tudo é gerido pela TI centralizada em Maranello (Itália). ?A diferença na Ferrari está nas pessoas e dedicamos muita atenção a isso. A marca tem valor de US$ 3,5 bilhões. Toda a operação de TIC das lojas Ferrari é feita pela sede global para manter padrão?, explica o CIO, que falou durante o Inforum, evento anual da Infor para clientes e usuário que aconteceu em Denver (EUA).

Mas como tudo muda, alguma coisa estava por acontecer com a TI da montadora e o estopim para tal transformação veio por meio de um programa interno chamado de Zero Mancanti para eficiência organizacional e redução do custo industrial. No caso do ERP propriamente, um dos direcionadores para acelerar a migração foi a introdução do supply chain em processos corporativos.

?A produção cresceu recentemente, mas eram necessários novos conceitos para gerenciar as áreas de suprimentos e fabril?, lembra Boero. Mas não é só isso. O fornecedor para entrar em Maranello precisa mostrar flexibilidade. ?Nosso ambiente de aplicativo era muito velho e complicado de gerenciar. Precisava de muita intervenção da TI e dos operadores de negócio.?

A escolha pela Infor não foi simples, mas pesou em favor da provedora a cobertura de gaps antigos que o sistema Baan IV deixava. Eles estavam saindo que uma plataforma implantada nos anos 90 e que há 12 anos era o principal sistema da companhia para algo mais moderno. O Infor10 ERP (LN), quando colocado num gráfico das necessidades da Ferrari e do que a plataforma entrega, atingiu 98% de cobertura, de acordo com o CIO, isso sem qualquer personalização. Apenas para contextualizar o Baan IV foi adquirido pela Infor em 2006 e desde então a companhia trabalha em sua evolução.

Entre as dificuldades para encontrar um sistema que se adequasse ao ambiente de Maranello está, por exemplo, o complexo esquema de supply chain da Ferrari. Ela detém, por exemplo, a parte da compra de alumínio que será usado na fabricação da peça que será usada no carro. ?E isso traz complexidade, outro complicador era necessidade de ser rápido. Era preciso garantir flexibilidade no processo. Buscamos uma solução de ERP flexível, avançada tecnologicamente e que suprisse as necessidades de nosso negócio?, lembra. Sem mencionar a marca, Boero afirmou que, embora o Grupo Fiat utilize SAP, eles optaram por não aderir, por entender que não se adaptaria à proposta.

Finalizada a compra, o projeto foi dividido em três fases, sendo que a primeira entrou em operação em janeiro deste ano com os módulos de planejamento, produção, procurement, compra, logística e warehousing (WMS), gestão de qualidade e protótipos. Para janeiro de 2013, entrará compra e finanças para o departamento de corridas, contas a pagar e a receber, vendas e varejo. A partir deste momento, o Baan será totalmente eliminado. A última fase, prevista para janeiro de 2014 trará novas funcionalidades, como controle de custo de produto, e o módulo de relatórios.

?Hoje temos 170 usuários, com pico de 300. Usamos banco de dados Oracle 11, servidores IBM, Campus cluster para continuidade de negócios e infraestrutura ION em máquinas virtuais. Nada é simples na área de TIC, todas as soluções escolhidas pela empresa são muito bem analisadas, precisam estar alinhadas ao ideal da empresa?, avalia. A constante projeção do futuro e essa busca por excelência é muito bem estampada por uma frase do fundador Enzo Ferrari: ?O melhor carro? É o que virá a seguir?.

*O jornalista viajou à Denver (EUA) a convite da Infor

 

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail