Home > Notícias

Trabalho remoto: o desafio de gerir pessoas a distância

Segundo estudo, apesar da modalidade se tornar cada vez mais comum nas empresas, 57% não têm políticas internas estabelecidas para essa modalidade de

Marina Simões da Dialetto

01/03/2019 às 21h42

Foto: Assessoria

O relatório Future Workforce Report 2018 lançado pela UpWork mostra que o trabalho remoto cresceu nas empresas nos últimos três anos — 63% dos departamentos possuem pelo menos uma pessoa no time que desempenha suas atividades remotamente. No entanto, das mais de mil organizações analisadas pelo estudo, 57% não têm políticas internas estabelecidas para essa modalidade de trabalho. Um dos maiores desafios é fazer a gestão de presença dos colaboradores remotos e manter a transparência das relações profissionais enquanto isso.

“A Portaria 373 do MTE tornou possível o uso de aplicativos e outras soluções para registro da jornada de trabalho. Desta forma, as empresas conseguem criar rotinas asseguradas por lei para o trabalho remoto e implementar políticas relacionadas a ele”, conta Juliana Bittencourt, gestora de RH na Ahgora, empresa que desenvolve softwares e hardwares de gestão de ponto e acesso. Um exemplo das ferramentas alternativas citadas por Juliana é o aplicativo Ahgora Multi, que possibilita aos colaboradores externos fazer o registro de ponto e de localização via celular e tablets por meio do Reconhecimento Facial. Com o app, os colaboradores fazem o registro online de ponto de onde estiverem e o gestores recebe as informações em tempo real.

A tecnologia para gerir a presença de colaboradores externos também pode contribuir para a transparência das relações profissionais. Existem profissões, como a de promotores de vendas e consultores, por exemplo, que naturalmente exigem o trabalho remoto. Com a evolução da tecnologia, é possível acompanhar este processo a fim de otimizar e aperfeiçoar a relação entre os gestores e os trabalhadores externos.

Com o uso do software de gestão de Trade Marketing desenvolvido pela Involves, a FINI otimizou o cumprimento do roteiro dos promotores em 60 pontos percentuais, o que significa uma marca de 97% das rotas feitas. Isso porque o software permite que o promotor faça check in e check out nos estabelecimentos comerciais, mostrando onde realmente esteve e quanto tempo destinou para cada ponto de venda. Dessa forma, é possível ajustar as rotas levando em consideração o tempo médio das visitas de cada promotor.

O uso de tecnologias como IoT (Internet das Coisas) e cloud computing também facilita a gestão de presença e ponto. Com elas é possível fazer a gestão totalmente online e em tempo real dos colaboradores externos e em sedes distantes, situações comuns em construções, filiais de grandes empresas ou grupos de colaboradores que se deslocam durante o horário de trabalho. “Assim, a gestão consegue acompanhar horas extras, faltas, atrasos e receber justificativas e atestados online, tudo em tempo real. O RH, por exemplo, tem acesso a todos os registros, o gestor aos dados do time e o colaborador passa a ter acesso ao próprio espelho de ponto”, explica Juliana.

Tags
Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail