Home > Notícias

União marketing digital com o big data

O novo casamento que chegou para ficar nos negócios

Daniel Salman*

07/03/2019 às 10h15

Foto: Shutterstock

O marketing digital já é uma realidade consolidada no Brasil, e este tipo de publicidade, pode ajudar muito na hora de vender mais e acertar no público alvoPara isso, algumas empresas estão usando um antigo conhecido do mundo digital, o Big Data. O fornecimento de dados específicos às marcas que necessitam entregar a mensagem correta, à pessoa correta, no momento indicado, gerando uma experiência integral e eficiente entre anunciante e consumidor.

“A indústria da publicidade digital no Brasil é conhecida por ter profissionais com práticas de alta performance e, sobretudo, por uma capacidade única para desenvolver soluções, práticas, processos e experiências que funcionam especificamente no mercado local” assinala Mario Rubino, novo Country Manager da Retargetly, principal fornecedora de soluções de marketing baseadas em dados para o mercado latino-americano.

Big data é um termo que descreve o grande volume de dados — tanto estruturados quanto não-estruturados — que sobrecarrega as empresas diariamente. Mas não é a quantidade de dados disponíveis que importa, é o que as organizações fazem com eles. O big data pode ser analisado para obter insights que levam a decisões melhores e ações estratégicas de negócio.

Neste sentido, e referindo-se especificamente a combinação entre Big Data e MarTech, Rubino acrescenta que “vive-se um momento especial no Brasil, a medida que se consolida o uso da tecnologia em publicidade e as companhias embarcaram no intrincado processo de aprender como e em que profundidade usar os dados que possuem”.

O caminho para a união entre big data e marketing digital foi natural, uma vez que o ambiente online é propício para a captação de informações dos clientes. Todo movimento do usuário online gera uma série de dados sobre o comportamento dele, e o Big Data torna possível captar tais dados e utilizar as informações, por meio do marketing digital, para tomar a melhor decisão e prever os resultados das ações propostas.

Em 2017, os investimentos em publicidade digital superaram os da TV pela primeira vez, nos EUA, segundo dados do Interactive Advertising Bureau (IAB). Pesquisa do Instituto Provokers, feita em parceria com o Google Brasil e o Youtube, no ano passado, reforça essa tendência. Estudo realizado com 1500 brasileiros, entre 14 e 55 anos, das classes A, B e C – uma amostragem que representa 123 milhões de pessoas – indica que, em três anos, o consumo de vídeos online saltou 90,1%, enquanto a TV se manteve próximo do estável. O smartphone se consolida nessa frente: é usado por 83% das pessoas. Além do fato de 87% dos pesquisados permanecerem online enquanto assiste a algo na TV.

Processar e analisar os dados gerados a partir dos comportamentos na rede, então, é fator chave no marketing digital. A tecnologia chegou para ficar!

* Daniel Salman é o consultor de Mídia na Kipus.

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail