Home > Notícias

Universidade Universo cria modelo tecnológico para reestruturar grade curricular

Instituição usa inteligência artificial e análise preditiva para otimizar estrutura curricular de alunos e professores

17/10/2018 às 20h54

graduação
Foto:

A Universo - Universidade Salgado de Oliveira apostou no uso de tecnologias para reestruturação de toda a sua grade curricular. A instituição utilizou recursos como inteligência artificial (AI, na sigla em inglês) e análise preditiva para desenvolvimento de um modelo que pudesse trazer otimização financeira da estrutura de disciplinas dos cursos e, consequentemente, melhoria da experiência do cliente (aluno). O foco era reduzir "choques" de horário em grades irregulares, distribuindo a agenda de alunos e professores, e aumentando a personalização do ensino, conforme cada perfil.

Helio Soares, diretor de tecnologia e inovação da Universo, lembra que, antes da implementação da ferramenta, os cursos eram tratados de maneira independentes. "Percebemos duas necessidades: permitir o intercâmbio maior entre alunos, para que eles pudessem compartilhar conteúdos, e otimizar recursos dos nossos professores, trabalhando grades para que pudessem ter disciplinas comuns", afirmou o executivo.

A equipe de TI liderou o desenvolvimento de uma especificação funcional e técnica com base em mecanismo de inteligência artificial para avaliação dos conteúdos de disciplina, com o objetivo de sugerir junções por curso e por unidade física da universidade. Ainda, o time definiu premissas e restrições de junção de disciplinas e elaboração de planos de aula personalizados para atender às especificidades de cada curso, em uma mesma disciplina, com alunos heterogêneos do ponto de vista de curso origem.

"Criamos uma plataforma com padronização de nomes de conteúdos e competências. Padronizamos a nomenclatura, colocamos na ferramenta e criamos um modelo que faz comparativos de conteúdos e disciplinas. O modelo gera insight para readequação de grades, mas a decisão final sempre é humana. O responsável (pelo curso) olha para o resultado do modelo e toma a decisão", ressaltou.

O projeto, segundo Soares, permitiu aumento de até 23% no ticket médio de créditos cursados por aluno a cada semestre, eliminou o custo com adicional noturno a professores e permitiu cumprir métricas legais quanto aos percentuais de aulas não presenciais, estágios e atividades complementares em todos os cursos, de forma padronizada.

Somado aos resultados tangíveis mencionados pelo executivo, o projeto proporcionou melhoria técnica do corpo docente para atuar de forma flexível, respeitando o perfil/curso dos alunos de suas disciplinas, além de aumentar o portfólio de disciplinas de atuação de cada professor.

O projeto rendeu à equipe de TI da Universo, liderada por Soares, o troféu de primeiro lugar na categoria Educação do prêmio As 100+ Inovadoras no Uso de TI, reconhecimento promovido pela IT Mídia em parceria com a PwC.

Cenário

Soares explicou que as grades curriculares anteriores permitiam baixo compartilhamento de disciplinas pelos cursos. Os alunos, segundo o executivo, enfrentavam problemas de choque de horários, principalmente alunos irregulares, que tinham dependências em disciplinas anteriores. "O custo era crescente a cada semestre, para atender à diversidade de disciplinas a serem oferecidas para cumprir os órgãos reguladores e atender, principalmente, alunos formandos", apontou.

A checagem das estruturas das grades e tentativas de otimizações eram completamente manuais, exigindo muitas horas de trabalho e uma integração forte das equipes, o que dificilmente ocorria devido ao tempo e orquestração das demais atividades.

Era mais do que necessário oferecer ao aluno uma grade mais inteligente, que se reorganizasse ao longo dos semestres, para manter um alto número de disciplinas comuns.

Soares fez questão de frisar que o projeto, apesar de liderado pela TI, contou com grande colaboração de coordenadores de curso, diretores de campus e da mantenedora - estratégia primordial para o sucesso da plataforma.

Estágio

Soares relatou que a plataforma foi utilizada como forma de teste para elaboração da grade curricular do segundo semestre de 2018 e, para o primeiro semestre de 2019, toda a grade já foi desenvolvida com o modelo. São cerca de 25 cursos.

Um exemplo apontado pelo executivo é o curso de jogos digitais, recém-adicionado à grade curricular. "Foi um curso trabalhado em conjunto a outros de tecnologia, como Sistemas da Informação e Ciência da Computação. Todos eles puderam compartilhar de forma mais otimizada algumas disciplinas, o que trouxe redução de custos", disse.

"Quando se entrega um projeto como esse, fica claro que a TI é uma área de negócio. Não tem mais essa de TI e área de negócios separados. A TI impactou o negócio e conversou de igual para igual focada no objetivo principal da instituição", concluiu Soares.

Finalistas da categoria Educação

1º Helio Soares – Universidade Universo, diretor de tecnologia e inovação
2º Centro Educacional da Fundação Salvador Arena – Walter Sanches, CIO
3º Adtalem – Luiz Alvarez, CIO

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail